Jornal MT Norte
Publicidade
         
                
Santos abre 3 a 0 e cede empate ao Fortaleza
Peixe atropela no primeiro tempo, mas relaxa e vê Leão reagir na segunda etapa
13:42   26 de Agosto, 2019
9015ae174a4c305dbf884d27c282a88d.jpg
Foto: Ivan Storti | Santos FC

João Vítor Castanheira
Lance!

Do céu ao inferno. Vindo de duas derrotas no Brasileirão, o Santos entrou em campo mordido, neste domingo, e atropelou o Fortaleza por 3 a 0 no primeiro tempo, com gols de Marinho, Jorge e Sasha. Com a vantagem porém, o Peixe relaxou, sofreu dois gols de Wellington Paulista e, aos 49 do segundo tempo, viu Tinga empatar para o Leão. Com o resultado na 16ª rodada, o Alvinegro fica com 33 pontos e pode perder a liderança para o Flamengo nos critérios de desempate. 

Na próxima rodada, o Peixe visita a Chapecoense no sábado, às 19h. O Leão do Pici - que fica com 18 pontos e não pode ser ultrapassado na 15º posição - recebe o Goiás no domingo, às 16h, no Castelão. 

Um minuto e 32 segundos: este foi o tempo que o Peixe levou para dar uma resposta pelos últimos dois jogos. Jorge lançou Evandro na grande área e, a partir daí, tudo de primeira: o meia escorou para Sasha, que rolou na esquerda para Marinho chapar no canto, com jeito. Era o Alvinegro, mordido, abrindo o placar na Baixada. 
Como uma tsunami invadindo as praias de Santos, o time de Sampaoli massacrava o Fortaleza. Aos quatro minutos, Soteldo teve chance clara, mas parou em Felipe Alves. Aos nove, o 2 a 0: Marinho cobrou o escanteio, Alves tirou de soco e, na sobra, Jorge - destaque da etapa inicial - pegou de primeira, da meia-lua, e fez um golaço - em lance de jogador de Seleção Brasileira. 
Sem afrouxar o ritmo, time mandante manteve o ímpeto por toda a primeira etapa. Aos 32, Jorge, sempre ele, lançou Sasha, que invadiu a área e tocou por cima do goleiro. O lance, a princípio anulado por impedimento, foi rapidamente validado pelo VAR. 
O Fortaleza tomou um choque no vestiário e voltou aceso para o segundo tempo. Aos 10, Edinho arrancou pelo meio e caiu após contato com Aguilar na grande área. Com o auxílio do VAR, o árbitro marcou pênalti, convertido por Wellington Paulista. Não demorou, o camisa 9 recebeu cruzamento e, da pequena área, marcou o segundo - dando conotação dramática ao duelo na Vila. 
Pressionado, o Santos oxigenou o time com as entradas de Sánchez e Mota, e voltou ao controle do jogo. No fim, porém, o Tricolor do Ceará partiu para o abafa e chegou ao empate. Aos 49' do segundo tempo, Tinga aproveitou o cochilo da zaga santista e completou para o gol o cruzamento de Carlinhos, frustrando a torcida santista. 

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte