Jornal MT Norte
Publicidade
         
                
Nova Bandeirantes | Identificados 3.500 hectares de desmatamento ilegal no município
Seis pessoas foram presas; 13 tratores e 9 motosserras foram apreendidos
12:58   02 de Setembro, 2019
098d1c590124a71238634dc51ee6f551.jpg

Juliana Carvalho 
Sema-MT 

O Governo de Mato Grosso, por meio a Secretaria de Estado de Meio Ambiente, embargou desde a última semana 10.864 hectares por desmatamento ilegal no bioma amazônico. Com o embargo, os proprietários estão impedidos de desempenhar qualquer atividade econômica sobre as terras abertas de maneira ilegal.
De acordo com a secretária de Meio Ambiente, Mauren Lazzaretti, a Ação Integrada de Contenção de Desmatamentos e Queimadas terá tolerância zero com os crimes ambientais. 
As multas pelos crimes ambientais que incluem desmatamento ilegal, uso irregular do fogo e transporte ilegal de madeira somam quase R$ 60 milhões de reais. Também foram apreendidos 13 tratores, 9 motosserras e seis pessoas foram presas em flagrante em Nova Bandeirantes.  
Os infratores foram encontrados realizando desmate ilegal e operando uma serraria móvel em plena área de floresta. Foram identificados mais de 4 mil hectares de área desmatada ilegalmente, sendo 3.500 apenas no município de Nova Bandeirantes. As ações foram conduzidas pela Diretoria de Unidade Desconcentrada (DUD) da Sema, em Alta Floresta, em parceria com Batalhão de Polícia Militar de Proteção Ambiental (BPMPA) e 11º Batalhão de Polícia Militar
As áreas identificadas em Nova Bandeirantes eram todas de difícil acesso. Na região, foram aplicados cerca de R$ 20 milhões em multas, pelos crimes de transporte ilegal de madeira, desmate em áreas de reserva legal e de manejo floresta, desenvolvimento de atividade potencialmente poluidora sem autorização e uso de fogo sem autorização e durante o período proibitivo.
Durante a operação, a Polícia Judiciária Civil de Alta Floresta, com apoio da Sema, apreendeu um caminhão um caminhão com 49m³ de madeira ilegal.
Também foram identificados 113 hectares desmatados em Peixoto de Azevedo, com multa aplicada de R$ 500 mil.
Em Colniza e Aripuranã foram autuados 1.600 hectares, somando 8,3 milhões em multas. 
A Plataforma de Monitoramento com Imagens Satélite Planet, adquirida pelo programa REM, por meio do Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (FUNBIO), com recursos da Alemanha e Reino Unido, está sendo utilizada pela Governo de Mato Grosso para identificação das áreas desmatadas.

Com imagens de alta resolução espacial e geração de alertas ocasionados pelo monitoramento diário em tempo real, a plataforma é abastecida por imagens de mais de 120 satélites Planet, disponibilizadas com resolução espacial de 3 metros que cobrem todo o território do estado. 

Queimadas - De janeiro a ao dia 30 de agosto de 2019, houveram mais de 16 mil focos de calor, o que corresponde a 87% a mais do que mesmo período de 2018.
Desta forma, o Governo do Estado irá prorrogar o período proibitivo de queimadas em Mato Grosso – que se encerraria em 15 de setembro -  até o dia 30 de novembro deste ano.
O anúncio foi feito pelo governador Mauro Mendes, durante coletiva à imprensa na tarde desta sexta-feira (30). Também serão suspensas até a mesma data toda e qualquer autorização para desmatamento no Estado.
“Vamos concentrar todas as nossas energias, recursos, equipamentos, para usarmos no combate a esse desmatamento ilegal e a essas queimadas ilegais que estão acontecendo no Estado de Mato Grosso”, afirmou o governador.

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte