Jornal MT Norte
Publicidade
         
                
MP da Liberdade Econômica poderá gerar avanço econômico ao país
Hoje, o empregado não obtém nenhuma vantagem e o empregador tem prejuízos com multas e autuações
13:09   04 de Setembro, 2019
e78c5247ec4bc41f77d13bee116faea4.jpg

Irajá Lacerda 

Caso seja sancionada, a Medida Provisória 881/2019, conhecida como ‘MP da Liberdade Econômica’ deverá proporcionar um grande avanço na economia do país, já que estabelece garantias de livre mercado, simplifica processos e desburocratiza questões que envolvem empregadores e empregados. 
A relação do produtor rural com os seus empregados, por exemplo, terá mudanças significativas. Uma delas é a regulamentação do trabalho aos domingos e feriados para várias atividades. Imaginem o que isso significa durante um período de colheita, em que é preciso trabalhar todos os dias para garantir a qualidade do produto e evitar a sua perda. 
Com a aprovação da MP, o produtor poderá negociar com o empregado, que igualmente sairá ganhando, pois para quem trabalhar nesse dia, o salário será dobrado ou poderá garantir uma folga durante a semana.   
A carteira de trabalho digital também consta no texto da MP, o que evitará erros nos dados e prejuízos para as partes interessadas. O trabalhador terá facilidade no acesso das informações e o empregador contará com um sistema simplificado e muito mais ágil. 

Consta, ainda, alteração no prazo para assinatura da carteira de trabalho. A MP amplia esse prazo de 48 horas para cinco dias úteis. E isso fará uma grande diferença para o produtor quando tiver que realizar um número relevante de contratações.  Hoje, o empregado não obtém nenhuma vantagem e o empregador tem prejuízos com multas e autuações. 

A MP também trata do controle de jornada e da jornada por exceção. Nesse caso, em vez de o trabalhador ter que fazer a marcação de rotina, com horários de entrada, intervalo e saída, informará apenas algo extraordinário, como horas extras e faltas, por exemplo. 
Outros temas relevantes do texto referem-se ao eSocial, que deverá ser substituído por um sistema simplificado; a Isenção de licenças e alvarás para negócios de baixo risco, como startups, e a dispensa da obrigatoriedade de registro em cartório de determinadas documentações, o que também vai gerar uma redução de custo para o empregador. 
Existe no Brasil um excesso de burocracia que precisa ser revisto. E a MP 881/19 vem justamente desburocratizar uma série de questões e contribuir para o fomento de diversos setores da economia, o que pode aquecer a economia dos municípios do interior e gerar novos empregos aos brasileiros
 
Irajá Lacerda é advogado e presidente da Comissão de Direito Agrário da OAB-MT, presidiu a Câmara Setorial Temática de Regularização Fundiária da AL/MT - e-mail: irajá.lacerda@irajalacerdaadvogados.com.br

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte