Jornal MT Norte
Publicidade
Um dia para os pioneiros
12:33   05 de Dezembro, 2019
1e0f8b8de1db609be30eb9bdcd94b3c4.jpg

Domingo passado, dia 24, foi comemorado em Alta Floresta, com diversas atrações, o “Dia do Pioneiro”. Na verdade o dia exato é o dia 25 que caiu na segunda-feira, mas comemorou-se no domingo 24. O dia foi para o calendário das datas comemorativas do município graças a um projeto de Lei de autoria da vereadora Elisa Gomes sancionado pela prefeita Maria Izaura e a data foi escolhida em homenagem ao pioneiro mais ilustre do município, o colonizador Ariosto da Riva, o último bandeirante do século 20 como fora alcunhado pelo jornalista David Nasser. Ariosto faleceu aos 77 anos em 25 de julho de 1992, porém a data de nascimento, mesmo dia em que nasceu minha mãe em 1917 é 25 de novembro de 1915.

Soube do evento comemorativo pela minha amiga Elaine Pereira, guia de turismo que postou no grupo do WhatsApp. Não estava no município, portanto não pude me fazer presente. De qualquer forma obrigado Elaine e parabéns a todos os organizadores e parabéns a todos os pioneiros e desbravadores desse chão, tido como o grande Eldorado pelos primeiros que aqui chegaram. Não citarei ninguém por uma questão de justiça aos demais que deixariam de ser citados.

Mas nesse caso estejam representados pelo colonizador “seu” Ariosto que tive a oportunidade de conhecer quando aqui cheguei em 1987 e tive a honra de a ele ser apresentado pelo já falecido senhor Oronzo Gianote, o conhecido Nino da Coag, que também me apresentou ao engenheiro Ludovico da Riva, filho do colonizador, com quem mais tarde eu trataria de negócios.

Em 1989 fui lecionar Língua Portuguesa no recém-emancipado município de Apiacás onde minha amizade com o colonizador se estreitou e graças a ele e ao seu acreditar, pude criar o jornal “A Notícia”, um jornal em formato francês que circulou em Apiacás e Alta Floresta até meados de 1993. De Ariosto e de Ludovico, de quem falarei numa próxima crônica, independente de nossas visões ideológicas, tenho boas lembranças dos dois.

Depois que o COAF virou UIF tenho tido algumas convulsões em meu raciocínio. Neste momento veio-me à mente a comunidade Luso-Brasileira que recentemente, precisamente aos 15 de setembro último, perdeu o cantor de Arrebita e Bate o Pé Antônio Roberto Leal. Outro Antônio, Antônio Augusto de Moraes Liberato, o Gugu Liberato, vítima de acidente doméstico semana passada nos Estados Unidos, será sepultado nesta sexta, hoje, no cemitério Gethsêmani (Morumbi-SP). O Gugu, eu o vi algumas vezes nos corredores da Faculdade de jornalismo Cásper Líbero ali no número 900 da Avenida Paulista em São Paulo, mas ele já era o Gugu do SBT, o Gugu do Silvio Santos, o Gugu de todos nós. Saudades.

 

 

Compartilhe nas redes sociais

COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte