Jornal MT Norte
Publicidade
Natal da alegria
Natal é a festa da paz, da harmonização familiar e social
13:09   23 de Dezembro, 2019
eb5331e84398cea55cd2b4a87bebbc62.jpg

PADRE DEUSDÉDIT DE ALMEIDA

Lucas é um diligente e brilhante escritor sagrado. É ele que mais se ocupou com as  informações históricas sobre  o nascimento e infância de Jesus. Gloria luminosa, alegria e paz pelo nascimento de um Salvador, dominam o seu anúncio evangélico.
Na narrativa do nascimento de Jesus  ele escreve: “Eis que lhes anuncio a Boa Notícia, uma grande alegria para todo o povo: hoje, na cidade de Davi, nasceu para vocês um salvador, que é o messias do Senhor" (Lc 2,10-11). Esta é a grande mensagem do Natal. Cada ano revivemos esta contagiante alegria pela encarnação do Filho de Deus na história humana.
Assim proferiu São Leão Magno, Papa: “Não pode haver tristeza no dia em que nasce a vida; uma vida que, dissipando o temor da morte, enche-nos de alegria com a promessa da eternidade”. 
Pela encarnação, a salvação prometida por Deus  torna-se realidade concreta em Jesus Cristo, o único mediador desta salvação. Parafraseando as palavras do profeta Isaias, o Salvador esperado é o “Emanuel” (Is.7,14), isto é, o “Deus-conosco”.
Portanto, nosso Deus é presença visível em Jesus. Porquanto, Jesus é o rosto humano de Deus e rosto divino do homem. Esta afirmação teológica do profeta Isaias nos faz compreender  que Jesus não é uma saudosa memória  do passado, uma ideia ou um ser abstrato. Porém, uma pessoa viva, real, concreta e atuante em nossa vida e na história humana. Ele é o Senhor da história e alegria do mundo, ontem, hoje e sempre!
É por isso que a festa do natal se reveste de certa magia e ternura, despertando nas pessoas  sentimentos cristãos, muitas vezes adormecidos, tais como: encontros festivos, confraternizações, amigo oculto e gestos de solidariedade. 
O profeta Isaias, em outro poema messiânico nos apresenta o salvador como: “Conselheiro admirável, chefe perpétuo e príncipe da Paz”(Is. 9,5). Conforme esta profecia, Jesus se apresenta como o príncipe da paz, aquele que veio para reunir os povos da terra numa só família.

Por isso, natal é, também, a festa da paz, da harmonização familiar e social.  Em tempos de polarizações ideológicas, o natal é uma ocasião para o reencontro fraterno e carinhoso com todas as pessoas. Pois, todos somos irmãos em Cristo Jesus!

Finalmente, cuidemos para não transformar o natal só em festa de comensalidade e consumo, ofuscando o brilho luminoso do aniversariante festejado! Para tanto, acolhamos o divino Salvador com alegria, na obediência da fé e na experiência do amor ao próximo!
O augúrio de feliz Natal, é a expressão mais declinada e verbalizada nos lábios  das pessoas neste tempo festivo. Que esta, melodiosa e cordial saudação seja, verdadeiramente, expressão da incontida e justificada alegria Natalina! Alegria esta, que não vem de nenhum outro lugar a não ser de Deus, pelo encontro com seu adorável Filho,  Aquele que consolida e potencializa uma  alegria perene no mundo.
 
PADRE DEUSDÉDIT DE ALMEIDA é sacerdote diocesano e pároco da Paróquia Coração Imaculado de Maria (Cuiabá).


 

Compartilhe nas redes sociais

COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte