Jornal MT Norte
Publicidade
Bactérias na pia da cozinha são perigo para a saúde
Sobre a pia de sua cozinha é onde geralmente fica a esponja de cozinha. Ela pode conter até 200 vezes mais germes e bactérias do que o assento sanitário
13:37   15 de Janeiro, 2020
725505a30e21efdfb2bc93b6c36f2f08.jpg

A pia da cozinha é um dos principais focos de contaminação da casa, pelo potencial que o local possui de proliferar germes e bactérias. Muitas vezes a família inteira se vê sofrendo com diarreias e vômitos, acreditando ter pego uma intoxicação na rua, quando o problema estava dentro de casa.

Segundo um estudo feito pela Fundação de Pesquisa para Saúde e Segurança Social (FESS), em parceria com a Universidade de Barcelona, a cozinha é um dos lugares mais contaminados dentro da casa. A pesquisa aponta que a pia da cozinha possui 100 mil vezes mais germes do que no banheiro e que eles se concentram principalmente nas esponjas e nos panos. 
"Isso acontece, pois são utensílios que estão em contato com a água o tempo todo, e os locais com umidade são os preferidos das bactérias", explica o biomédico e microbiologista Roberto Figueiredo, conhecido como Dr.  Bactéria.
Ele comenta também que a umidade é só um dos fatores que estimula a proliferação de germes e bactérias, sendo que os resíduos dos alimentos é que "alimentam" esta proliferação. Louças mal lavadas, tábuas e colheres de madeira, cantos de pia são exemplos clássicos de locais que acumulam restos de alimentos e geram uma contaminação cruzada. E a esponja da pia é o utensílio que mais causa este tipo de contaminação. "A pessoa lava a tábua de madeira contaminada com a mesma esponja que lava seus pratos e copos, por exemplo, espalhando bactéria por toda a louça. Esse tipo de contaminação pode causar diarreia e febre", afirma o biomédico.
Sobre a pia de sua cozinha é onde geralmente fica a esponja de cozinha. Ela pode conter até 200 vezes mais germes e bactérias do que o assento sanitário, por exemplo. A informação vem de uma reportagem feita pela rede inglesa BBC e aponta que o objeto pode conter até mesmo bactéria que está ligada a casos de paralisia. Estudos apontam que existem 10 milhões de bactérias por metro quadrado na esponja de cozinha. Esse número é de um milhão nos panos usados na cozinha; o alerta também vai para roupas e toalhas, que podem conter microorganismos prejudiciais à saúde;
Aquele paninho que costumamos deixar na pia e que serve para apoiar a louça ou enxugar a água que escorre depois que lavamos os pratos é um verdadeiro antro de bactérias e germes. Com ele, geralmente limpamos a torneira, a cuba e tudo que está por perto. O ideal é que ele seja lavado sempre com água e sabão e depois estendido para secar.
 Veja algumas dicas que podem lhe ajudar a manter sua cozinha mais limpa
Lavar comida na cuba- Muita gente gosta de utilizar a cuba da pia para limpar frutas e verduras. Nada mais anti-higiênico! O local costuma reunir mais germes do que a privada do banheiro! Isso porque é para onde vai toda a sujeira que tiramos dos alimentos. Por isso, utilize sempre bacias ou escorredor de macarrão e mantenha os produtos longe da pia. Para ajudar a remover as bactérias, misture duas colheres de sopa de água sanitária em um litro de água dentro da pia.
Pano de prato multiuso-Nunca devemos utilizar o mesmo pano que enxugamos a louça para limpar as mãos ou pegar panelas quentes. O certo é ter sempre panos diferentes para cada atividade. Também é importante trocá-lo com frequência.
Panela na geladeira- Um erro grave cometido por muitas pessoas é guardar comida dentro de panela na geladeira. Como a maioria desses recipientes são feitas de alumínio, que é material tóxico, o recomendável é manter os alimentos em potes de plástico, vidro ou inox.
Tábuas de corte- Evite as tábuas de madeira, pois os microrganismos se proliferam com muita facilidade neste material. Prefira as de vidro, mais higiênicas e fáceis de limpar. O ideal é manter pelo menos duas na cozinha: uma para carnes e peixes e outras para vegetais ou outros produtos que dispensam o cozimento.
Lata de lixo- Engana-se quem pensa que para manter o lixo limpo basta jogar o saco fora. É importante lavar a lixeira pelo menos uma vez por semana, com água e sabão. Além disso, é aconselhável utilizar um pano descartável com desinfetante para remover o mau cheiro.
Sujeira difícil de limpar- Muitos eletrodomésticos que utilizamos tem um cantinho difícil, quase impossível de se limpar. O fundo do liquidificador, as pás da batedeira, as lâminas do mixer são apenas alguns dos lugares que costumam acumular crostas de sujeiras e, com isso, bactérias! Para limpar é preciso escovar e muita paciência.
Descongelando comida - Quantas vezes você não deixou a carne descongelando em cima da pia? Isso é um erro comum nas cozinhas. O certo é descongelar o alimento em um prato dentro da geladeira. Esqueceu a carne no freezer? Utilize o micro-ondas ou coloque-a em saco bem fechado dentro de uma bacia com água.
Colher de pau- Velha conhecida das cozinhas, o utensílio é um dos maiores vilões quando o assunto é contaminação. Os microrganismos se fixam nas ranhuras da madeira e sobrevivem por longos períodos. Dessa forma, as bactérias podem contaminar os alimentos, causando doenças. Prefira espátulas de silicone.
Enlatados na geladeira- Evite guardar produtos enlatados na geladeira. O contato com o verniz do revestimento das latas (após o recipiente ser aberto com o abridor) pode acelerar a oxidação do alimento e causar, inclusive, contaminação. O ideal é transferir o produto para um pote plástico ou de vidro com tampa para que fique bem vedado.
Bucha velha- Em vez de limpar, as esponjas podem trazer ainda mais sujeiras para os utensílios. Isso porque, as buchas velhas e encardidas podem acumular até 100 milhões de bactérias e 8 milhões fungos. Especialistas recomendam fervê-la pelo menos duas vezes por semana ou deixá-la mergulha durante 10 minutos em um pote de plástico com água sanitária. 

 

Compartilhe nas redes sociais

COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte