Jornal MT Norte
Publicidade
Escola Furlani tem 40 alunos aprovados em cursos de graduação
São alunos como a estudante Letícia Lage Silva, que conseguiu 960 pontos na redação do Enem, sua colega Bruna Costa Leite, com 940 pontos
13:18   19 de Fevereiro, 2020
9b53bab71ba4ab30615ab3d312564539.jpg

Adilson Rosa
Seduc MT

Com 70 alunos que concluíram o ensino médio, a Escola Estadual Vitória Furlani da Riva, localizada no município de Alta Floresta, ao menos 40 iniciaram suas graduações, sendo a maior parte em instituições públicas como Universidade Estadual de Mato Grosso (Unemat), Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) e Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT).
São alunos como a estudante Letícia Lage Silva, que conseguiu 960 pontos na redação no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Para Letícia, a escola foi fundamental para conseguir essa nota. “A escola contribuiu na interpretação, trabalhando temas e praticando em sala de aula. Nossa, é uma ótima nota na redação”, comemora.

O aluno Douglas Carlos Silva conseguiu 800 pontos na redação. E acredita que que graças ao seu empenho, obteve uma nota excelente.   “A escola sempre incentivou para termos a melhor nota possível, tivemos diversas aulas extras de redação e em ambas as disciplinas conseguimos aprender cada vez um pouquinho mais. Nas aulas de língua portuguesa fizemos diversos temas de redação”, assinala.

A aluna Bruna da Costa Leite conseguiu 940 pontos e suas colega Amanda Batista de Melo, 880 pontos. Lucas Antônio Ferreira Fogaça, conquistou 760 pontos.
Para o diretor da escola, Jean Resende, o resultado não poderia ser melhor, uma vez que tanto a estrutura da escola como o esforço dos professores foram fundamentais para que tantos alunos já conseguissem estar fazendo um curso superior
Jean Resende explica que a escola dispõe de boas condições para os professores, com salas personalizadas para as disciplinas, TV e internet nas salas, ambiente limpo e organizado. A equipe de apoio também merece destaque, por serem profissionais proativos e atenciosos às necessidades dos estudantes e professores.
“Assim os estudantes encontram condições adequadas para desenvolvimento de seus estudos e para superação de suas carências acadêmicas. Tudo isso é refletido no desempenho nas avaliações do Enem e vestibulares”, ressalta.
Divulgação


 

Compartilhe nas redes sociais

COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte