Jornal MT Norte
Publicidade
Análise: São Paulo comete erros do Paulistão na Libertadores e paga caro com derrota na estreia
Tricolor perde por 2 a 1 para o frágil Binacional e fica pressionado na fase de grupos
13:49   06 de Março, 2020
e9dd938213cd36e961abb542b5ff4c5f.jpg
Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net

Por Marcelo Hazan — São Paulo

Criar inúmeras chances e não definir o jogo. O torcedor do São Paulo se acostumou a ver esse roteiro em 2020. O time de Fernando Diniz cometeu os mesmos erros do Paulistão na Libertadores.

A diferença é que na competição continental o preço a ser pago foi a derrota na estreia por 2 a 1 para o frágil Binacional, na altitude de 3.800 metros de Juliaca, no Peru.

Agora o time terá de recuperar os pontos perdidos contra LDU e River Plate, os adversários mais fortes do Grupo D. Os dois próximos jogos no Morumbi ganham ares de decisão. O agravante para o São Paulo é a derrota do River (com time reserva) para a LDU por 3 a 0.

Uma vitória do São Paulo na próxima quarta-feira sobre os equatorianos pode igualar os quatro times do Grupo D com três pontos, caso o River confirme o favoritismo em casa diante do Binacional.

Um tropeço, por outro lado, transformaria os duelos com o próprio River em uma espécie de mata-mata pela classificação na chave.

Diante do Binacional, mais uma vez o São Paulo jogou bem durante só um tempo. Era o suficiente para golear o adversário, não fosse (novamente) a falta de pontaria nas finalizações. O Binacional só ameaçou no primeiro tempo em chutes de longa distância.

Foram pelo menos cinco chances perdidas, além do gol de Pato:

  • 8 minutos: Reinaldo cruzou, e Pato, livre, cabeceou para fora;
  • 20 minutos: Tiago Volpi lançou, Pablo ajeitou para Daniel Alves, recebeu de volta e deu o passe para Pato fazer o gol;
  • 23 minutos: Reinaldo cobrou o lateral, Pato fez um corta-luz, e Daniel Alves deixou Antony livre para fazer o gol. Mas o atacante finalizou de direita sem tanta força e o goleiro pegou.
  • 32 minutos: Reinaldo cruzou, o goleiro Raúl Fernández cedeu o rebote e Pablo, livre, finalizou de esquerda para fora;
  • 35 minutos: Antony roubou a bola e colocou o ataque do São Paulo numa situação de três contra um. Com as opções de passe para Antony e Daniel Alves, Pablo finalizou muito longe do gol;
  • 38 minutos: Igor Gomes acionou Antony, e o goleiro do Binacional saiu no abafa para defender o chute do atacante.

– Não vamos colocar na altitude a responsabilidade da derrota. Poderíamos ter feito o gol logo em seguida do primeiro. O importante para nós no primeiro tempo foi ter criado essas situações. Criamos várias, isso é muito importante, faltou o produto final, o gol. Evidente que o jogador não está lá para errar o gol. A gente sempre pensa na mudança para melhorar, levando em conta a altitude. Mas parabenizo os atletas por terem criado chances para fazer os gols – disse o auxiliar Márcio Araújo, responsável por dirigir o time por causa da suspensão de Fernando Diniz.

No segundo tempo, o São Paulo sentiu os efeitos da altitude e não conseguiu mais jogar. Em alguns momentos o time cedia a bola ao adversário e ficava com os 11 jogadores atrás da linha da bola.

O Binacional empatou logo aos quatro minutos, em lançamento nas costas de Bruno Alves e Arboleda. Com pouco ângulo, Marco Rodríguez finalizou entre as pernas de Tiago Volpi.

A virada saiu aos 32 minutos: Arango avançou sem ser incomodado por nenhum jogador do São Paulo e finalizou de fora da área para vencer Volpi. O detalhe é que a linha de quatro da defesa tricolor apenas recuou no lance e ninguém do meio de campo chegou para diminuir o espaço.

Márcio Araújo promoveu três substituições no segundo tempo, mas nenhuma delas fez o São Paulo jogar mais bola: Pablo por Liziero, Pato por Toró e Bruno Alves por Hernanes. O Profeta arriscou chute perigoso no fim do jogo, mas parou no goleiro Raúl Fernández.

A derrota para o pior do time do grupo diminuiu ainda mais a margem de erro do São Paulo na Libertadores. A equipe de Fernando Diniz terá de aprender a matar as partidas com as inúmeras chances criadas. Caso contrário poderá amargar uma eliminação precoce.


 

Compartilhe nas redes sociais

COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte