Jornal MT Norte
Publicidade
Quer pagar quanto? O que clubes pensam sobre os cortes de salários
Atlético e Fortaleza cortarão 25% dos salários. Palmeiras vai tentar pagar até o fim
13:44   01 de Abril, 2020
9ed07b33f224b5a4cc38f2e5a75d6eb7.jpg
Foto: Marcos Ribolli

Por PVC

O Palmeiras se prepara para pagar todos os contratos de CLT na próxima terça-feira, 7, quinto dia útil de abril. Significa pagar em dia o salário de março, o que não difere nem sequer dos times que já anunciaram cortes de salário. O Atlético Mineiro e o Fortaleza avisaram e negociaram com jogadores e comissão técnica os cortes de 25% da folha de pagamento de abril. Ou seja, o corte virá no quinto dia útil de maio, mas a ideia é pagar em dia também o salário de março, em abril.

 

A diferença entre as duas políticas é que o Palmeiras, por enquanto, pretende honrar seus compromissos até o final da crise do coronavírus. É a intenção, que pode ser ser confirmada. O planejamento do clube tem uma lista de vinte itens que serão verificados semana a semana. O que dá para pagar, o que não entrou de fornecedores, se sócios do clube pagarão em dia, com o setor social fechado, se sócios torcedores vão se mobilizar ou abandonar seus boletos.

O técnico Vanderlei Luxemburgo já enviou vídeo aos jogadores para tratar da gravidade da situação e do que pode ser necessário negociar a partir de maio. Não em abril.

No final de abril, haverá outra avaliação, para ter certeza de que se poderá cumprir o objetivo de pagar em dia no quinto dia útil de maio.

O Flamengo tem um ponto de vista um pouco diferente. Não tem problema financeiro, mas negociará com seus jogadores se entender que eles não estão trabalhando. Não é uma decisão tomada.

Os grupos de clubes se dividem em quatro: 1. os que não têm dinheiro e já não pagam em dia; 2. os que tentam pagar em dia e já perceberam que não vão conseguir honrar seus compromissos, porque não estão entre os mais ricos; 3. os que entendem que os jogadores não devem receber, porque não estão trabalhando; 4. os que entendem que os jogadores não estão trabalhando apenas porque não podem e devem ter salários em dia, a não ser que seja impossível.

O Palmeiras está neste último grupo.

Atlético, Fortaleza e Ceará, que já negociaram com seus jogadores a diminuição de salários a partir de abril (vencimentos a serem pagos em maio) perceberam que não terão condição de honrar seus compromissos.

O Corinthians está estudando toda a situação, mais ou menos na linha do Palmeiras. Com uma diferença. É possível que a Crefisa não deixe de pagar as parcelas do patrocínio palmeirense e o Corinthians já sabe que não receberá cotas de quatro do total de seus onze patrocinadores, de acordo com o site Meu Timão.

Por ora, Atlético, Fortaleza e Ceará definiram as reduções salariais em abril e pagarão menos no quinto dia útil de maio.


 

Compartilhe nas redes sociais

COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte