Jornal MT Norte
Publicidade
Aquisição domiciliar per capita de carne é de 24 kg por ano em Mato Grosso
O Centro-Oeste tem a maior aquisição domiciliar per capita anual de cereais e leguminosas
13:17   06 de Abril, 2020
1fc6de8beaa7650cd464da205523971d.jpg

Assessoria
IBGE

O mato-grossense adquiriu para consumo no domicílio, em média, por pessoa, por ano, 29,7 kg de cereais e leguminosas, 22 kg de hortaliças, 24,1 kg de frutas, 7,4 kg de farinhas, féculas e massas, 10,5 kg de panificados, 24,3 kg de carnes, 36,1 kg de laticínios e 11,3 kg de açúcares, doces e produtos de confeitaria. Essa e outras informações fazem parte do módulo Avaliação Nutricional da Disponibilidade Domiciliar de Alimentos no Brasil da Pesquisa de Orçamentos Familiares – POF 2017-2018, fruto de uma parceria do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) com o Ministério da Saúde, e divulgado nesta sexta-feira (03-04). 
A publicação apresenta os resultados referentes às quantidades da aquisição de alimentos para consumo no domicílio, per capita no ano, de alimentos e bebidas da população residente no Brasil e Grandes Regiões, e a comparação com as pesquisas anteriores de 2002-2003 e 2008-2009. A pesquisa, que foi realizada do dia 11 de julho de 2017 a 9 de julho de 2018, busca identificar a nova realidade da condição nutricional observada na disponibilidade alimentar para consumo nos domicílios brasileiros.
O Centro-Oeste tem a maior aquisição domiciliar per capita anual de cereais e leguminosas, de 32,6 kg, enquanto a média nacional é de 27,7 kg. Além disso, outro destaque interessante e significativo da região são as carnes: a aquisição per capita de 24,5 kg é menor que a do Sul, de 25,5 kg, mas muito acima da média do Brasil, que é de 20,7 kg de carne por pessoa da residência. A disponibilidade de hortaliças no Centro-Oeste (25,9 kg) também só ficou atrás do Sul (31,3 kg), enquanto a média brasileira foi de 23,7 kg.
A aquisição alimentar domiciliar per capita anual de Leite e creme de leite foi maior em Mato Grosso (32,1 kg) do que no Centro-Oeste (28,5 kg), assim como a de Melancia (4,9 kg contra 3,8 kg), de Farinhas (3,3 kg contra 2,5 kg), de Ovos (4,0 kg contra 3,1 kg), de Leite de vaca fresco (9,3 k g contra 6,6 kg) e a de Água mineral (13 litros contra 12,2 litros).

O estudo também mostra a participação relativa dos grupos e subgrupos de alimentos no total de calorias determinado pela aquisição alimentar domiciliar no período. Em Mato Grosso, alimentos in natura e minimamente processados representam 53,8% do total de calorias disponíveis para consumo nos domicílios; ingredientes culinários processados 23,3%; alimentos processados 6,6%; e alimentos ultra processados 16,3%.


 

Compartilhe nas redes sociais

COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte