Jornal MT Norte
Publicidade
Retorno inesperado
Após o fim de “Éramos Seis”, Giullia Buscacio volta ao ar na reprise de “Novo Mundo”
13:10   22 de Maio, 2020
7ca5fe42ad3b2edfee5b185db1269e10.jpg
Foto: Foto: DIVULGAÇÃO/TV GLOBO

POR CAROLINE BORGES
TV PRESS

Giullia Buscacio se viu diante de uma mistura de sentimentos e sensações. Recém-saída da trama de “Éramos Seis”, a atriz ficou contente ao descobrir que permaneceria no ar com a estreia da reprise de “Novo Mundo”, em que vive a índia Jacira. Porém, em contrapartida, ela sabia que a volta do folhetim assinado por Thereza Falcão e Alessandro Marson não tinha uma motivação positiva. Em decorrência do avanço da Covid-19 no Brasil, a Globo adiou a estreia e paralisou os trabalhos de “Nos Tempos do Imperador”, produção escalada para substituir a obra de Angela Chaves. “Fiquei feliz por ela (‘Novo Mundo’) ter sido escolhida. E triste pelo motivo que ela está voltando ao ar. Mas a Globo foi muito responsável com todos os funcionários e tomou a decisão certa em paralisar as produções. O isolamento ainda é o melhor remédio que temos contra o avanço do coronavírus. Quem puder ficar em casa, fique. Sei que nem todos têm essa opção, infelizmente. Vivemos em um país de muitas desigualdades sociais e me preocupo demais com essas pessoas mais vulneráveis nesses tempos que estamos vivendo”, lamenta.
No enredo, Jacira é uma índia determinada e que luta pela sua liberdade e igualdade dentro da aldeia. No início da novela, ela chegou a se apaixonar por Joaquim, papel de Chay Suede, no tempo em que ele ficou com o grupo, mas entendeu que o coração do jovem era de Anna, de Isabelle Drummond, e colocou toda sua energia no sonho de se tornar uma guerreira. Porém, seus caminhos cruzam com os de Piatã, interpretado por Rodrigo Simas. “Assim como eu, a Jacira é muito determinada. Não aprendi isso com ela, mas ela foi mais uma das minhas personagens que acentuou isso em mim. Temos de lutar pelo o que acreditamos, pelo que achamos justo e, principalmente, pelo o que sonhamos”, defende Giullia, que já sabe as principais cenas que pretende rever. “Fiz muitas cenas legais, mas uma que me impactou muito foi a que a tribo dela era incendiada. Foi uma cena difícil de fazer e que envolveu muitos detalhes. E que marcou a história dela na trama. Já estou assistindo à edição especial de “Novo Mundo” e é muito legal ver um trabalho com esse distanciamento de agora”, completa.
Apesar de seguir no horário das seis, Giullia aparece bem diferente no vídeo. Ao contrário da recatada Isabel de “Éramos Seis”, Jacira ostenta longos cabelos em cena e seu figurino é dominado por pinturas corporais. A caracterização era tão diferente que a atriz, inclusive, era pouco reconhecida pelo público. “Algumas pessoas nem associavam que era eu que fazia a Jacira (risos). Nossa caracterização caprichou muito. Mas escuto muitas coisas boas, gente que não tinha noção da história do nosso país e que está aprendendo um pouco sobre nossos antepassados. E uma galera que amou a primeira vez e que está assistindo de novo. É muito bom quando um trabalho se comunica com o público e cria essa interação”, aponta.
Aos 23 anos, Giullia está em ascensão na tevê. A atriz chamou a atenção do público ao participar de “Velho Chico”, em que interpretou a decidida Olívia. Logo depois, ela engatou uma série de projetos na Globo, como “Novo Mundo”, “O Sétimo Guardião” e “Éramos Seis”. “Amo trabalhar e fico extremamente grata e motivada por terem pessoas confiando no meu trabalho e apostando em mim para personagens tão importantes. Com a Isabel, por exemplo, pude trocar e aprender com a Glória (Pires). Isso me motiva a ir além”, vibra.

“Novo Mundo” – Globo – De segunda a sábado, às 18h30.


 

Compartilhe nas redes sociais

COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte