Jornal MT Norte
Publicidade
Fundamento estético
Peugeot 208 GT Line encanta pelo design futurista e agrada pelo comportamento dinâmico
13:05   25 de Maio, 2020
62f0ff3aa3793a1234171258f594d517.jpg
Foto: DIVULGAÇÃO

por Cosimo Curatola

Infomotori.com/Itália

A série 2 da Peugeot é uma instituição. E o novo 208 representa a mais antiga linhagem da marca entre as atualmente no mercado. A estreia foi com o 201, em 1929, pouco mais de 90 anos atrás. Foi também a ocasião em que a Peugeot criou a nomenclatura de três dígitos, com um zero ao centro ‑ que era, na verdade, o buraco para o encaixe da manivela para acionar o motor. A fórmula clássica x-0-y foi patenteada, o que forçou a Porsche a renomear seus esportivo como 911‑ inicialmente foi apresentado em Stuttgart como 901.

Mas o sucesso não é construído apenas com base no passado, tanto que a Peugeot 208 escolheu o caminho da inovação. No caso, são as três fontes de alimentação em que está disponível: o tradicional motor a gasolina, o propulsor Diesel, no qual a marca ainda aposta, e o movido a eletricidade pura. Assim, como em outros carros derivados de uma mesma plataforma, além de dar opção para o consumidor escolher a fonte de alimentação que melhor se adapte às suas necessidades, há um ganho de escala, já que as linhas e proporções permanecem quase inalteradas – o que se reflete no preço. No topo da linha com motores térmicos, tanto em equipamento quanto em performance, fica a versão 208 GT Line, que conjuga visual esportivo com um bom nível de equipamentos.

A esportividade do GT, porém, extrapola a simples estética. Afinal, ele traz sob o capô há o interessante motor PureTech de 1.2 litro de três cilindros, que rende 130 cv de potência e 23,5 kgfm de torque. Ele se combina com a transmissão automática EAT8 de 8 velocidades. Mas alguns detalhes valorizam visual, como o sistema de iluminação frontal full led na dianteira. As versões intermediárias o DLR traz apenas as fileiras de led que fazem referência aos dentes de um felino, enquanto a GT tem ainda três linhas dentro do farol. A versão vem ainda com rodas de liga leve de 17 polegadas montadas em pneus 205/45 e na coluna traseira está encravado o emblema “GT Line”, numa alusão do 205 GTI, que marcou época entre as décadas de 1980 e 1990. As caixas de roda recebem uma moldura em preto brilhante, para alargar visualmente o carro e transmitir mais esportividade. Na grade, uma série de tracejados cromados dão um toque luxuoso. Na traseira, apenas o emblema “GT Line” diferencia a versão.

O painel do Peugeot 208, o i-Cockpit, é uma homenagem aos aviões de combate, um efeito muito bem-sucedido obtido pela combinação de elementos aeronáuticos típicos com o mundo automotivo. E a nova instrumentação com efeito 3D adiciona um toque de classe e é amplamente personalizável. O interior tem um toque esportivo, principalmente pelos materiais plásticos com revestimento que remete à fibra de carbono e alumínio. A tela de entretenimento de 10 polegadas é voltada para o motorista e o sistema multimídia tem um bom nível de conectividade, com aplicativos Apple CarPlay e Android Auto e carregamento de celular por indução. Os controles físicos do teclado e o botão para ajustar o áudio são muito práticos, mas faltam controles físicos para controlar a temperatura do ar-condicionado.

 


 

Compartilhe nas redes sociais

COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte