Jornal MT Norte
Publicidade
Temporada 2020 da F1 pode ter quebras de recordes de Senna, Schumacher, Barrichello e Vettel
Marcas históricas de vitórias, conquistas consecutivas e GPs disputados estão muito perto de serem quebradas até nesta que é a 70ª temporada da Fórmula 1
10:41   01 de Julho, 2020
c86d5fcd097c2181a1f19eda4c61b1e1.jpg
Foto: Divulgação

Por GloboEsporte.com — Rio de Janeiro

Lewis Hamilton já havia comentado sobre a chance de ultrapassar as principais marcas de Michael Schumacher neste ano na Fórmula 1. No entanto, o hexacampeão não é o único que, nesta temporada, pode deixar para trás registros históricos. Max Verstappen, Kimi Raikkonen, Charles Leclerc e a própria Mercedes também estão perto de quebrarem recordes na categoria, como o maior número de vitórias, de provas disputadas ou de pontuação.

O holandês da RBR e o monegasco da Ferrari, por exemplo, têm grandes chances de se tornarem, em 2020, os mais jovens campeões da F1, superando a marca de Sebastian Vettel, também da Ferrari, que conquistou seu primeiro título aos 23 anos e 134 dias pela RBR, em 2010. Verstappen, que foi terceiro na classificação dos pilotos no ano passado, completará 23 anos em setembro. Já Leclerc, quarto no campeonato à frente do colega de equipe mais experiente, também fará 23 anos, em outubro.

Outro recorde perto de ser quebrado é o de GPs disputados. Piloto mais experiente da F1, o finlandês Kimi Raikkonen completou 40 anos em outubro passado e estreou na categoria em 2001, retirando-se entre 2009 e 2012. Com 312 provas no currículo, Raikkonen está perto, nesta temporada, de passar a marca do brasileiro Rubens Barrichello de 322 corridas disputadas entre 1993 e 2011.

O campeão de 2007 também está a apenas oito provas do recorde de 221 corridas em que Schumacher pontuou, entre 92 e 2008, marca que o finandês compartilha com Lewis Hamilton - que já é o maior piloto a pontuar consecutivamente.

Entre 1968 e 1974, a Ford-Cosworth conquistou consecutivamente sete títulos de construtores, construindo a dinastia mais longa da categoria até então. Porém, a hexacampeã de construtores Mercedes vai disputar a temporada 2020 mais perto do que nunca de derrubar a marca e tornar-se a montadora mais vitoriosa da Fórmula 1, caso conquiste seu sétimo título com Lewis Hamilton e Valtteri Bottas.

Lewis Hamilton tem grandes chances de se tornar, numericamente falando, o maior piloto da história da F1. Além do número de títulos (6 contra 7), uma das marcas de Schumacher que ele está próximo de superar é no número de vitórias. O piloto da Mercedes possui 84 contra as 91 de Schumi. Outro recorde do heptacampeão prestes a ser quebrado é o de pódios: Hamilton já conquistou 151, enquanto o alemão deixou a categoria em 2012 com 155 pódios.

O britânico, que já superou Ayrton Senna no número de vitórias liderando de ponta a ponta, possui hoje seis Grand Chelens - quando um piloto vence largando da pole position, liderando do início ao fim e anotando a volta mais rápida da prova. Hamilton está a apenas duas conquistas do conterrâneo Jim Clark, que alcançou a marca oito vezes.


 

Compartilhe nas redes sociais

COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte