Jornal MT Norte
Publicidade
MPE suspeita que empresas ligadas a deputado desviaram R$ 72 milhões
10:01   15 de Julho, 2020
9379fa2b700e6ce5f3a46515d261a2a5.jpg

O Ministério Público Estadual instaurou quatro inquéritos civis para apurar suposta improbidade administrativa envolvendo licitações realizadas pela Prefeitura de Rondonópolis e que tiveram como vencedoras empresas ligadas ao deputado estadual Ondanir Bortolini, o Nininho (PSD).

O volume de recurso possivelmente desviados totalizam totaliza R$ 72 milhões.

As obras são referentes a pavimentação asfáltica e drenagem em 12 bairros da cidade. “Sendo destarte oportuno e conveniente investigar se pode ter ocorrido alguma espécie de fraude à licitação e/ou ao contrato com dano ao erário infração aos princípios regentes da administração pública, que possa tipificar ato de improbidade administrativa”, disse o promotor de Justiça Wagner Antônio Camilo, que assinou as portarias.  Ele quer saber se houve improbidade durante os 4 certames em que as empresas Tripolo Ltda e a Deterra Ltda, que são administradas pelo filho do parlamentar, Fausto Presotto Bortolini.  

A empresa Tripolo e o deputado Nininho já são investigados em outros processos envolvendo contratos com o governo do Estado.  Um dos casos é envolvendo  fraude na licitação que envolveu a concessão da rodovia MT 130, no trecho de 122 quilômetros entre Rondonópolis e Primavera do Leste, região Sul do Estado.

 Essas informações constam na delação de Silval, que diz ainda que parte do valor da propina foi pago pela Construtora Tripolo, que pertence a um filho do deputado, para Jurandir da Silva Vieira. O pagamento para Jurandir seria uma maneira de dissimular a origem do dinheiro e pagar uma dívida de campanha.  

 Silval afirmou ainda que parte destes R$ 7 milhões serviram para o pagamento de propina a outros agentes públicos.   O deputado Nininho nega ser dono da empresa.

 


 

Compartilhe nas redes sociais

COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte