Jornal MT Norte
Publicidade
O adeus ao grande alta-florestense, Dr. Mário Nishikawa
Médico pioneiro de Alta Floresta faleceu aos 79 anos
10:00   28 de Setembro, 2020
7091fe5fe1579d17848559c2c6c68033.jpg

Reportagem
Mato Grosso do Norte

Mário Nishikawa, que faleceu no último dia 25, por complicações do coronavírus, aos 79 anos em Londrina (PR) foi um apaixonado por Alta Floresta e ninguém mais do que ele amou tanto esta cidade. Um homem ilustre, benevolente, culto, de caráter irretocável e que deixa um importante legado para as novas gerações. Difícil descrever uma pessoa portadora de adjetivos tão sublimes. 
O clínico Geral Dr. Mário Nishikawa era um pioneiro em Alta Floresta e chegou na cidade no início da colonização, em 1979 quando ainda era um médico jovem, disposto a encarar os desafios da inóspita Floresta Amazônia da década de setenta. dois anos depois inaugurou o Hospital Geral, que sempre foi a grande maternidade da cidade. Muitos alta-florestenses nasceram por suas mãos. 

Sua contribuição para o processo de crescimento do município é indescritível, não somente na área de medicina, mas também como ativista nos clubes de serviços como o Rotary. E sempre esteve presente, se posicionando nas demandas que Alta Floresta teve que superar para chegar aos dias atuais. 

“Na época da construção, no 2º semestre de 1979, o local destinado para o Hospital Geral era mata nativa.   Solicitamos a derrubada da mata, porém grande maioria do maquinário pesado da Indeco estava abrindo estradas do loteamento rural de Paranaíta e não foi possível o intento devido ao início do período chuvoso.  Na época, havia falta de materiais de construção, não havia telefonia, dependíamos de rádios de raras empresas comerciais para comunicação, falta de mão de obra principalmente após a eclosão da atividade garimpeira, havia muitas dificuldades”, disse em uma entrevista concedida ao jornal Mato Grosso do Norte. 
Alta Floresta sofre uma grande perda com a partida de Dr. Mário. Ele passou por esta vida, ilustrando belos exemplos de cidadania, patriotismo e sobretudo, amor pela cidade que lhe acolheu. 
Que Seus sonhos possam viver em todas as pessoas que, assim como ele, sonham com uma cidade progressista. E que um dia a cidade de Alta Floresta possa estar no lugar de destaque que ele sempre quis que ela estivesse. Que possamos dar vida a seus sonhos. Afinal, os homens passam, mas ficam suas ideias e seus exemplos. 
Dr. Mario foi velado na sede do Rotary Clube e sepultado neste domingo no cemitério de Alta Floresta. 


 

Compartilhe nas redes sociais

COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte