Jornal MT Norte
Publicidade
Bueiros entupidos causam alagações; comerciantes reclamam de prejuízos e cobram uma solução
Empresário, dono de concessionária diz que vem sofrendo constantes prejuízos e prefeitura não resolve o problema
10:10   28 de Setembro, 2020
c427711ce9cf9dfb895d83d65e6520fe.jpg
Foto: 2019

Reportagem
Mato Grosso do Norte

Com o início das chuvas, voltou ao debate em Alta Floresta um problema recorrente para os comerciantes e moradores: as inundações em determinados pontos da cidade. Um foco destas inundações, localiza-se no centro da cidade, nas redondezas da Alta Veículos. O proprietário da empresa Abdo Assaf relatou ao jornal Mato Grosso do Norte uma realidade enfrentada por ele há anos, cujos prejuízos são de valores altos. 
No ano de 2019, por conta da falta de limpeza e manutenção dos bueiros nas proximidades de seu estabelecimento, o empresário teve um prejuízo estimado no valor de 28 mil reais devido às inundações. Esse problema, entretanto, se perpetuou e continua causando estragos e prejuízos à empresa, durante a chuva do penúltimo domingo, Abdo também teve problemas com as inundações dentro de seu estabelecimento. 
“Vira uma lagoa imensa aqui na rua e chega a formar 30 centímetros de água. E tudo por falta de manutenção. Já pedi para a vice-prefeita, pedi para o secretário e para vereadores, mas alegam que não tem equipamentos para fazer a limpezas nos bueiros. A água da calha de minha loja, desce e não consegue escoar e volta, desce para o forro e arrebenta tudo. O prejuízo é grande. E não obtive resposta da prefeitura. No ano passado só limparam a boca de lobo e não resolveu nada”, enfatiza  Abdo Assaf.
O empresário reclama que, além dos transtornos, vem sofrendo prejuízos de monta com este problema. “No ano passado meu prejuízo foi de R$ 28 mil, além de queimar computadores, caiu forro em cima dos carros e o seguro não pagou alegando que não foi a chuva e que foi por causa do bueiro. E desde a época da ex-prefeita Maria Izaura que cobro que se faça uma limpeza neste sistema de bueiro. Se tivesse feito uma limpeza teria resolvido o problema. Não adianta limpar a boca do bueiro se a tubulação está entupida. E todos os anos se forma uma lagoa no centro da cidade. Ninguém toma uma atitude e não resolve”, lamenta Abdo.     
Outro estabelecimento da cidade que também sofre com as inundações causadas em consequência da falta de manutenção das tubulações é a Mundial materiais elétricos, o gerente do local, Emerson Tracz, também retratou as dificuldades enfrentadas. Há anos no período de chuva, ocorre inundações em frente ao local, prejudicando, dessa forma, o acesso dos clientes ao estabelecimento, situação que muitas vezes chega ao ponto de os clientes não conseguirem entrar no local de fato.

“É um problema recorrente. Todos os anos no período de chuvas, a rua fica inundada, porque as bocas de lobos e sistema de drenagem da água não funciona e se transforma numa lagoa. E prejudica porque dificulta o acesso do cliente à loja e oferece riscos”, diz Emerson.

Para ele, a solução seria a limpeza das galerias. É um problema do poder público, mas estamos à disposição. Se houver necessidade de alguma colaboração da empresa para a prefeitura resolver, estamos prontos para ajudar e resolver o problema”, se dispõe o gerente.   
Verônica dos Santos, da Casa de Carnes da Fazenda, também passa pelos mesmos problemas por conta da chuva, segundo ela, a água das chuvas cobre toda a calçada em frente ao comércio, prejudicando e muitas vezes também inibindo a chegada dos clientes à loja. 
“Quando chove a situação fica horrível. A água parece que vai entrar dentro da loja e prejudica muito os comércios deste perímetro porque a rua se transforma num rio. Motos e carros mais antigos não conseguem passar. Falta a prefeitura tomar uma providência para resolver, desentupindo os bueiros para a água escorrer”, reclama Verônica. 
Outro problema que os entrevistados citaram, diz respeito ao período de seca da cidade, em que o terreno da secretaria de saúde, por não ser calçado, espalha poeira para as proximidades. 
A falta de atenção dos gestores públicos da cidade afeta diretamente na qualidade de vida da população, com os exemplos mostrados, é possível perceber a necessidade que prefeitos, vereadores e secretários executem, genuinamente seus trabalhos, para de fato melhorar qualidade de vida da população. Pois é importante ressaltar que a água sem escoamento não prejudica somente os estabelecimentos, mas também as avenidas da cidade, que diversas vezes ficam intransitáveis.

 

Estragos 2019

 

Estragos 2020

 

Sujeiras nas ruas contribuem com o problema 

Bueiros estão entupidos


 

Compartilhe nas redes sociais

COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte