Jornal MT Norte
Publicidade
Sem amarras
Em “Flor do Caribe”, José Loreto valoriza carreira diversa após o lúdico Candinho
10:09   16 de Outubro, 2020
f58917d802d7eaead8472ca344b3b9d7.jpg
Foto: DIVULGAÇÃO/TV GLOBO

POR CAROLINE BORGES
TV PRESS

Trabalhar na tevê pode ser bastante limitador para alguns profissionais. Ao viver a intensa repercussão do malandro Darkson em “Avenida Brasil”, José Loreto temia seguir por um caminho de personagens semelhantes. O ator, no entanto, não precisou de muito tempo para experimentar projetos diferentes no vídeo. Logo após a novela das nove, Loreto foi chamado para viver o inocente Candinho de “Flor do Caribe”. O personagem lúdico abriu uma infinidade de possibilidades para o ator. “Às vezes, tem aquela tendência de manter o ator em um único tipo de personagem. O Jayme (Monjardim) me deu um papel que ia no extremo oposto do Darkson. Foi muito importante em termos de carreira. Depois do Candinho fiz galã, fiz vilão, fiz melhor amigo do mocinho... Se não foi o papel mais importante da minha carreira, foi o mais delicioso”, valoriza.
A trama de “Flor do Caribe” voltou ao ar em edição especial em virtude da pandemia do novo coronavírus. No enredo, Candinho é neto de Veridiana, papel de Laura Cardoso. Considerado um adulto com alma de criança, ele anda para cima e para baixo com sua cabra Ariana, vendendo leite ordenhado na hora de porta em porta. Fantasioso, ele acredita tanto em anjos como em mula sem cabeça e extraterrestres. “Nunca mais conseguirei fazer um personagem tão puro como o Candinho. É muito bom rever esse personagem. Vou poder mostrar esse trabalho para a minha filha. É um dos únicos personagens que ela pode ver à vontade. Não tem beijo ou nada assim, só pureza”, afirma o ator, que é pai da pequena Bella, de 2 anos, fruto da união com a atriz Débora Nascimento.
As principais lembranças de Loreto começam pelas gravações no Rio Grande do Norte. Ao lado de parte do elenco, o ator começou a gravar suas sequências pelo Nordeste brasileiro. Apesar de não estar em muitas cenas ao longo dos capítulos, ele conseguiu ficar mais de um mês no estado durante o período das gravações. “Foi inesquecível. Tenho de agradecer à engenharia de produção da novela. Como eu gravava um dia em cada locação, eu tinha um intervalo grande. Então, a produção perguntava se eu queria ficar no Rio Grande do Norte ou voltar para o Rio, e depois retornar novamente. Eu, claro, falava que não me importava de ficar (risos). Era mais econômico, não é? Esse início das gravações foi mágico”, vibra.
Ao longo dos capítulos da trama assinada por Walther Negrão, Loreto contou com bons parceiros de cena. O ator, no entanto, dividiu boa parte de suas sequências com uma cabra, a fiel companheira de Candinho. Loreto lembra que precisou de bastante fôlego para contracenar com o animal. “A gente gravava em umas dunas no Rio Grande do Norte e eu atolava de areia até o joelho. O Jayme me mandava subir e descer as dunas com a cabra no colo. Essa novela tem passagens muito encantadoras. Acho que a reprise vem mais forte do que no lançamento”, explica.
 
“Flor do Caribe” - Globo - de segunda a sábado, às 18h30.


 

Compartilhe nas redes sociais

COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte