Jornal MT Norte
Publicidade
Candidatos desqualificam pesquisa eleitoral
Candidatos acreditam que número de pesquisa foi manipulado para favorecer candidato
10:03   09 de Novembro, 2020
649d58f00ff0a43aae5e47802b90bcbf.jpg

Reportagem
Mato Grosso do Norte

Candidatos a prefeito de Alta Floresta contestaram a veracidade de uma pesquisa divulgada neste final de semana, realizada pelo instituto MGS Marketing & Dados.  Para os candidatos ouvidos por Mato Grosso do Norte, a pesquisa, apesar de ter registro na justiça eleitoral, seria manobra política para confundir os eleitores e não condiz com a realidade do cenário político do município.  A pesquisa está registrada no TRE com o número MT-00284/2020, com intervalo de confiança de 95%. A pesquisa foi divulgada pelo site nortãoonline, de Colíder. 
A modalidade estimulada da consulta, mostra o candidato Chico Gamba (PSDB) com 26,22% das intenções de votos, seguido pelo delegado Vinicius Nazário com 16,78, não souberam responder 15,41%. Robson Silva aparece com 15,14%, Dida Pires com 14,32%, Rogério Colicchio, com 4,86%. Um total de 3,51% não respondeu, 2,43% pretende votar nulo, Luiz Araújo aparece com 1,08% e 0,27% pretende votar em branco.
O candidato Dida Pires (PDT) através da assessoria de sua campanha, considerou a pesquisa mentirosa. 
Conforme a assessoria do candidato, antes mesmo dos prazos legais do TSE, cabos eleitorais do candidato que lideria na pesquisa, estavam divulgando os números em redes sociais.
A coligação de Dida Pires irá entrar com recursos contra a pesquisa. Outra incongruência é o valor da pesquisa divulgado para a contratação da pesquisa, que é R$ 3 mil reais, fora da realidade de mercado. Conforme a assessoria do pedetista, uma pesquisa registrada em Alta Floresta não sai por menos de R$ 20 mil. 
“Se for comprovado que houve manipulação na pesquisa, pode ser configurado caixa-2. O valor registrado é irrisório e o valor real é muito mais caro e deveria ser divulgado no TRE, com o valor e a nota fiscal do pagamento”, observa um assessor.

A assessoria jurídica do candidato a prefeito de Alta Floresta pelo Podemos, Vinicius Nazário, se pronunciou afirmando que a pesquisa não é condizente com a realidade da campanha eleitoral em Alta Floresta e não descarta a possibilidade de manipulação do resultado. E que, provavelmente, houve adulteração da potencialidade dos candidatos. Conclue, apontando para uma evidente manobra feita na pesquisa para confundir os eleitores de Alta Floresta. 

O candidato do PP, Luiz Araújo, disse que acredita que a pesquisa “seja furada”. “Meu nome não aparece no gráfico da pesquisa. Meu nome foi boicotado. Para mim essa pesquisa não passa de uma armação”, protestou. 
O candidato do PT, Rogério Collicchio, chegou a achar graça dos números da pesquisa. Na sua opinião, com base no que tem visto na campanha eleitoral, existe equilíbrio entre os candidatos que estão na disputa pela prefeitura de Alta Floresta. “Todo candidato vai colocar uma pesquisa em que ele está bem colocado”, enfatiza.
Mato Grosso do Norte não conseguiu estabelecer contato com os demais candidatos. 


 

Compartilhe nas redes sociais

COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte