Jornal MT Norte
Publicidade
         
      
         
Tijolo por tijolo
09:25   01 de Julho, 2015 - Fonte: Jornal Mato Grosso do Norte

por Anna Bittencourt

TV Press

      O bom humor de Camila Rodrigues é um claro reflexo da fase profissional em que ela se encontra. No ar como a Nefertari de "Os Dez Mandamentos", a atriz enxerga a personagem como o maior papel de sua trajetória na teledramaturgia e comemora os bons resultados do folhetim bíblico da Record. "É uma junção de coisas boas. A Vívian de Oliveira (autora) está com a mão mais solta depois de vários projetos épicos, a direção é acertada e os atores encontraram o tom", opina, fazendo coro com a emissora sobre o fato de o novo horário da novela também contribuir para os bons índices da trama, que finalmente alcança os dois dígitos, com média de 15 pontos. "Além do público que já assistia a essas produções, trouxemos mais pessoas nessa faixa tão característica dos telejornais", afirma. O tamanho da personagem, que se divide entre os protagonistas Ramsés e Moisés, interpretados por Guilherme Winter e Sérgio Marone, também enobrece a atriz. "Fui em uma crescente na Record. Fiz personagens legais, mas que não tinham muita história a ser desenvolvida", conta, orgulhosa da trajetória.

      Por fazer papéis secundários, Camila acredita que Alexandre Avancini, diretor de "Os Dez Mandamentos", não conhecia muito bem seu trabalho. Por isso, ela foi convidada a fazer um teste para interpretar a futura rainha do Egito. "Fui bem tranquila para o teste. Decidi que, se não passasse, ia morar em Nova Iorque com meu marido por um ano. Então, o que viesse estava bom", diverte-se. Diante da resposta positiva, a atriz garante que bateu um "frio na barriga". Apesar de ter experiência não só na tevê como também no teatro, ela revela ter sentido medo. "A Nefertari é muito mais forte do que eu. Não tenho medo de mostrar minhas inseguranças e falei isso para o Avancini. Tive tanto apoio de toda a equipe que decidi embarcar nessa aventura", revela.

      Tamanha responsabilidade acarretou em um extenso processo de preparação. Mesmo tendo participado de "Rei Davi" e "José do Egito", a ambientação da época retratada em "Os Dez Mandamentos" foi fundamental para Camila. Por isso, participou de um "workshop" oferecido pela Record. Na ocasião, um historiador deu detalhes da vida que hebreus e egípcios levavam na época. "Fomos mais atrás da história da região e não tanto no estilo de vida de cada personagem", explica. Além da preparação oferecida para a emissora, a atriz também buscou referências em filmes, livros e contou com a ajuda de Larissa Bracher, sua "coach" particular, que, com uma dinâmica mais intimista, faz um trabalho de "life coaching". "É uma ferramenta que me coloca mais perto da personagem. A história da vida dela se mistura com a minha, aí passo a entender melhor as motivações e sentimentos", explica.

      A mudança no visual também foi determinante para que Camila "encontrasse" Nefertari. Desde que foi chamada para os testes, ela sabia que a direção tinha interesse em que cortasse o cabelo bem curto. "No início, não me preocupei com isso. Falava sempre: 'Vemos isso depois'", admite, aos risos. Mas, lendo os primeiros capítulos do roteiro, a atriz sentiu a necessidade não só de cortar, mas de raspar o cabelo. "Fui cortando aos poucos para não me chocar. Mas já comecei a gravar careca", conta, com bom humor. A ausência de cabelos era preocupante no início, mas agora Camila já "tira de letra". "Ela é tida como linda, desejada, sensual. Fiquei com medo de não me sentir assim e, consequentemente, não conseguir passar isso. Mas adorei o resultado, me sinto super 'sexy' e atraente", garante.

      Mesmo com toda essa preparação, o trabalho ainda não acabou. Como a novela é dividida por fases, Camila vai ter de "redescobrir" uma nova Nefertari. "Passam 20 anos e ela não é mais aquela menina", entrega. Já casada com Ramsés na terceira e quarta fases, a personagem vai se embriagar com o poder. "Ela vira uma rainha. Tem atitudes e reações diferentes. E tem muita mágoa também. Ainda estamos em busca desse peso que ela carrega. É como se fosse uma nova novela", afirma, antecipando que a passagem de tempo deve ocorrer por volta de julho. 

     

Destino traçado

      Natural de Santo André, assim como muitas atrizes, Camila Rodrigues começou a carreira sendo modelo, aos 14 anos. O gosto pela atuação surgiu quando entrou em cursos de teatro para ganhar desenvoltura diante das câmeras em comerciais de tevê. A partir daí, se formou na CAL – Casa de Artes de Laranjeiras, celeiro de atores no Rio de Janeiro – e decidiu fazer testes para as novelas da Globo. Seu "début" foi em "América", novela de Glória Perez exibida em 2005. "Foi um trabalho maravilhoso e de enorme responsabilidade. É muito bom poder estrear em uma novela das oito", explica.

      Dez anos mais tarde, Camila, agora com 32 anos, tem plena noção dos caminhos que quer seguir em sua carreira. "Cheguei a falar na Record que não queria mais participar de tramas bíblicas. Queria uma coisa mais atual. Mas aí apareceu a Nefertari", entrega. Apesar de feliz com o tamanho e repercussão da personagem, a atriz quer transitar por diferentes linguagens na teledramaturgia. "Adoro fazer comédia e pretendo fazer na tevê", conta, dizendo que aproveita o teatro como "escape" para entrar em trabalhos que a estimulem artisticamente.

 

Instantâneas

# Contratada pela Record desde 2012, quando estreou em "Rei Davi", Camila tem vínculo com a emissora até 2017.

# Camila conta que o momento mais difícil de "Os Dez Mandamentos" foi quando precisou gravar no Deserto do Atacama, no Chile. "Precisei entrar na água de manhã cedo e com três graus negativos", relembra.

# Além de "Rei Davi" e "José do Egito", ela participou de "Tá Tudo em Casa", especial de fim de ano exibido em 2013.

# Em 2001, Camila ficou entre as três finalistas para protagonizar "Presença de Anita", mas acabou perdendo o posto para Mel Lisboa.

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte