Jornal MT Norte
Publicidade
CADERNO B:Sob domínio do mal
Igor Rickli faz o sombrio Lúcifer em “Gênesis” enquanto reaparece como o vilão Alberto de “Flor do Caribe”
09:39   05 de Fevereiro, 2021
d19b1cd935ec61e6fe1777197cbd5007.jpg

por Caroline Borges

TV Press

                Calma e paciência foram ingredientes importantes para Igor Rickli ao longo dos quase 10 anos em que está na tevê. Atualmente vivendo o vilão Lúcifer em “Gênesis”, o ator de 37 anos celebra maior domínio do intenso processo que é encarar meses de uma novela. Porém, ao mesmo tempo que desfruta de novos trabalhos no vídeo, Rickli também relembra dos primeiros passos que deu na televisão. O ator voltou ao ar na pele do ambicioso Alberto, de “Flor do Caribe”, da Globo. Apesar do papel de destaque no folhetim de Walther Negrão, o ator ainda era um novato no mundo dos folhetins. “Hoje, estou mais adaptado ao formato. Eu acordei anônimo e dormi famoso no dia em que estreou ‘Flor do Caribe’. Não tinha noção do que era esse mercado e tudo o que envolvia. E já estreei com um personagem de peso, um vilão... A novela foi um grande intensivo, aprendi demais fazendo. Hoje, eu já tenho várias novelas no currículo, já existe uma tranquilidade sobre toda essa engrenagem”, analisa.

                Contratado da Record desde 2016, quando participou de “A Terra Prometida”, Rickli foi chamado para a novela bíblica através de um convite da direção da emissora. Após viver Jesus em algumas montagens teatrais, o ator se animou com a possibilidade de interpretar o maléfico Lúcifer. “Achei que seria um extremo interessante. Fiquei atraído por tentar entender a psicologia desse personagem. Todos conhecem esse personagem. Então, meu desafio foi criar a minha versão de quem é esse Lúcifer de ‘Gênesis’”, afirma o ator, que não teve receio de encarnar o papel sinistro. “Não tive medo pelo personagem, mas pela busca dele. Eu quis entender essa sombra do personagem, até mesmo porque todos nós temos sombras dentro de nós. Mas foi um mergulho intenso. E me fez mal, não vou mentir. Eu sou muito visceral, eu me entreguei por completo. Flertei mesmo com a depressão nesse período. Foi preciso me reequilibrar e voltar ao meu eixo”, completa.

                Ao contrário do restante do elenco, Rickli aparecerá durante todas as sete fases da trama bíblica. O querubim vaidoso e orgulhoso que se rebela contra Deus atuará do começo ao fim para que a humanidade caia em tentação ao longo dos capítulos. “É bastante interessante se pensar no impacto de Lúcifer no início da história e o que vivemos nos dias de hoje, não é? Vivemos um destilar de ódio, de violência, de desumanidade... Temos de rever nossos valores, nossa fé e, principalmente, o amor ao próximo”, defende.

                Assim como em “Gênesis”, Rickli também vive um vilão em “Flor do Caribe”. Na trama das seis, o invejoso Alberto busca destruir a relação entre Ester e Cassiano, interpretados por Grazi Massafera e Henri Castelli. A novela marcou o início da trajetória do ator na tevê. “Fiquei feliz com a escolha da reprise. É uma novela que marcou minha estreia na televisão, com um personagem marcante. Tenho bastante orgulho da minha trajetória e escolhas até aqui”, valoriza. Tendo a oportunidade de rever “Flor do Caribe”, Rickli garante que não sofre em assistir novamente seu trabalho. “Sou muito autocrítico, mas não sofro. Minha crítica tem a ver com o processo no presente, não com aquilo que já passou. No aqui e agora, eu quero sempre fazer o melhor”, ressalta.

 

Momentos de tensão

                A pandemia do novo coronavírus atingiu não só os planejamentos de Igor Rickli, mas também sua saúde. Logo no início da crise sanitária, o ator foi diagnosticado com Covid-19. Apesar de ter tido sintomas leves, o ator revela que teve receio de encarar uma doença pouco conhecida. “Era uma época que ainda não sabíamos quase nada sobre a doença. Sei que sou privilegiado por ter casa, comida e um trabalho que me permitiu ficar em casa. Minha maior dificuldade foi lidar com a ansiedade. Eu sou muito agitado. Fiz obra na casa, construí galinheiro, cortei árvore... Tudo sozinho ou com a ajuda da família. Precisava gastar essa energia”, afirma.

                Completamente recuperado, Rickli já voltou aos estúdios de “Gênesis”. Assim como ocorre em outras produções, as gravações seguem diversos protocolos de combate à Covid-19, como distanciamento social, máscaras, álcool gel e constantes rodadas de testagem do elenco e da equipe. “A casa tem sido muito responsável e prudente com as gravações. São muitas mudanças, como o distanciamento e tantas outras orientações. Agora já estamos mais adaptados e já sabemos como nos portar em cena, em cada lugar. E as coisas têm fluído”, explica.

Instantâneas

# Durante a fase mais aguda do isolamento social, o ator esteve no ar com a reprise de “Apocalipse”, em que viveu o protagonista Benjamin.

# O ator é casado com a cantora e atriz Aline Wirley, ex-integrante do grupo “Rouge”.

# Rickli é descendente de suíços e italiano.

# O ator é natural de Ponta Grossa, no Paraná.


 

Compartilhe nas redes sociais

COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte