Jornal MT Norte
Publicidade
Edinho Paiva assume presidência do PMB e já se articula para 2022
Empresário critica atual gestão municipal e diz que adversários foram mais valorizados do que quem ajudou na campanha
12:21   30 de Julho, 2021
6e50a8591a9e063976f57a632c1100e5.jpg

Reportagem
Mato Grosso do Norte

O empresário Edinho Paiva afirmou nesta quinta-feira, 29, que deixou o PL e se filiou no PMB [Partido da Mulher Brasileira-Brasil 35], sigla de Direita ligada ao presidente Jair Bolsonaro. Ele também assumiu a presidência do partido em Alta Floresta, já pensando nas eleições de 2022 e 2024. Sua adesão ao PMB se deu atendendo convite do suplente de senador e ex-deputado estadual, Jorge Yanai, que é o presidente estadual do partido em Mato Grosso.  
Edinho participou das últimas três eleições. Em 2016 foi candidato a prefeito pelo PSC [Partido Social Cristão] elegendo dois vereadores. Em 2020, pelo PL, seu grupo político alcançou 2.594 votos, elegendo um vereador e sendo uma das bases, para eleger o atual prefeito do município, Chico Gamba.
Ele chegou a participar da administração municipal por um período de três meses, como diretor de Indústria e Comércio, mas decidiu deixar o cargo para cuidar de seus negócios no setor imobiliário [Condomínio Náutico na região de Paranaíta]. Ele reclama que a gestão atual não valorizou o seu grupo.
“Essa gestão valoriza mais quem foi adversário do que quem colocou a cara na rua para apoiar e pedir votos, como foi o caso do meu grupo.
A gestão está envelopada por grupos políticos do MDB e da ex-prefeita Maria Izaura, que foram contra o então candidato na eleição, mas que agora estão com cargos e participando da administração. Quem ajudou como o PL e o próprio PSDB ficaram esquecidos. Quer dizer, a atual gestão valorizou mais os adversários que bateram durante a campanha, do que quem esteve junto”, assevera. 

Empresário critica atual gestão municipal e diz que adversários foram mais valorizados do que quem ajudou na campanha

Segundo Edinho Paiva, a mudança anunciada pelo atual gestor ficou apenas no palanque da campanha eleitoral. “80% dos cargos e pessoas ligadas à atual gestão é do PDT e MDB. A nova política, a mudança que prometeram, não aconteceu”, dispara.
“O PL foi um fundamental na vitória do atual prefeito, mas não houve valorização. Por isso, já estou preparando um novo grupo político já de olho nas eleições de 2022 e 2024. PMB é um aliado ao presidente Jair Bolsonaro e vamos fortalecer o partido para participar efetivamente dos próximos pleitos”, assegura.


 

Compartilhe nas redes sociais

COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte