Jornal MT Norte
Publicidade
Conversa após derrota e "time cascudo": Brasil se acerta para evitar drama no vôlei
Queda contra a Rússia fez seleção repensar momento para garantir vaga nas quartas nas Olimpíadas
12:55   30 de Julho, 2021 - Fonte: GE
c6f49d0d213801f1f6bdfaab05cea650.jpg
Foto: Foto: Toru Hanai/Getty Images

A derrota contra a Rússia pesou, mas apenas em um primeiro momento. A seleção brasileira deu uma resposta imediata após a queda contra os russos e garantiu a classificação às quartas de final após bater os Estados Unidos. No caminho até a vitória, uma conversa franca para acertar os passos e acertar a rota nas Olimpíadas de Tóquio.

- A gente teve uma conversa depois do jogo e eu digo para vocês: esse time é cascudo. Eu não sei qual vai ser o resultado, ninguém sabe. O que o time mostrou ontem, existe aquela ressaca da derrota, uma derrota doída e que frustra. Tomamos porradas pois as pessoas esperam coisas da gente. A gente foi para quadra e treinou como se fosse o último. Deu o gás, ninguém treina tanto quanto a gente. Isso aí demonstra o caráter e a dedicação desse time.

Contra os Estados Unidos, Lucarelli foi um dos melhores em quadra. Depois de um jogo ruim diante dos russos, conseguiu se recuperar e foi um dos destaques contra os americanos. O ponteiro afirmou que a equipe teve a preocupação de não se intimidar com a derrota.

- A gente teve uma conversa, os atletas, depois do jogo da Rússia. A gente se juntou, trocou uma ideia para não ficar com pensamento negativo. Que não ia representar nada se a gente ganhasse os outros dois. A gente sabia que tinha de correr atrás para melhorar. A gente sabia que seria difícil, mas dependia da gente.

O técnico Renan Dal Zotto acredita que o grupo consegue, por conta própria, se recuperar nos momentos mais complicados.

- O grupo tem consciência do que é capaz. E, quando não consegue, ele sente muito. Hoje, quando eu chegar no vestiário, não vai ter mais ninguém. Ontem, todos esperaram pois sabiam que a gente tinha de conversar. Essa consciência é muito legal. É uma coisa de muitos anos e funciona bem. Foi falado no vestiário, nas preleções. Como temos de encarar o jogo, ponto a ponto. Isso não quer dizer que não fizemos contra a Rússia. Eu acho que tivemos estratégia errada. Total responsabilidade minha.

O Brasil volta à quadra já neste sábado, contra a França, no último jogo da fase de classificação. Ainda tem chance de garantir o primeiro lugar do grupo em casa de triunfo. Até por isso, a seleção não quer se empolgar diante da boa atuação contra os americanos.

- Lucão falou uma coisa que é isso: pá de cal nesse jogo também. Tem de ser o mesmo jeito na derrota e na vitória. Amanhã tem de treinar do mesmo jeito. A nossa filosofia é essa, não tem tranquilidade. A gente precisa ter a faca no pescoço para poder colocar ela no dente e poder jogar – afirmou Bruninho.


 

Compartilhe nas redes sociais

COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte