Jornal MT Norte
Publicidade
AutoPerfil: Novo patamar
Jeep Grand Cherokee L tem requinte, equipamentos e desempenho para desafiar os SUVs das marcas de luxo
09:35   08 de Outubro, 2021
0a797081d562bf91acaba0a4ee57e3c2.jpg

Ruben Hoyo

Autocosmos.com/México

Exclusivo no Brasil para Auto Press

                O Jeep Grand Cherokee é um carro que sempre desfrutou, inegavelmente, de uma imagem e um posicionamento além das marcas generalistas. Só que nesta quinta geração, que chegou inicialmente na versão longa, o modelo faz tremer até mesmo as poderosas marcas alemãs premium. Com o novo Grand Cherokee L, a marca estadunidense parece disposta a competir frontalmente com Audi Q7, BMW X5 e Mercedes-Benz GLE sem qualquer medo ou reserva. E a incorporação desse L no final do nome ainda oferece uma vantagem adicional ao modelo. Pela primeira vez, o Grand Cherokee passa a oferecer três fileiras de assentos e sete lugares.

                Na terceira fila, o espaço de cabeça e joelhos é bom. E embora seja preciso flexionar as pernas um pouco mais do que o ideal, dois adultos de tamanho médio serão capazes de viajar distâncias médias sem qualquer problema. Nos Estados Unidos, o Jeep Grand Cherokee L é vendido em seis versões: Laredo, Altitude, Limited, Overland, Summit e Summit Reserve, na ordem crescente de conteúdo, motorização e preço. O modelo avaliado, Summit 4X4, é uma versão da top Summit Reserve com rodas menores ‑ 20 em vez de 21 polegadas – e sem teto solar panorâmico duplo. No mais, traz tudo que se pode imaginar em um SUV moderno.

                O interior fica alinhado ao que há de melhor no mercado, com madeira fosca natural, frisos em alumínio, forro de assento em couro Nappa perfurado ao centro com acabamento capitonné nas laterais e teto em Alcântara. Quanto ao equipamento, tem controle automático de temperatura com quatro zonas, assentos aquecidos e refrigerados na primeira e segunda fileiras de assentos e programa de massagem para motorista e passageiro. Traz ainda volante aquecido, carregador por indução e um impressionante sistema de áudio assinado pela McIntosh, com 18 alto-falantes mais subwoofer, que se nivela aos melhores do mercado, casos do AKG da Cadillac e do B&O da Audi. A tela central com Uconnect tem 10,1 polegadas e é complementada pelo cluster digital e pelo head-up display colorido. O sistema é compatível com IOS e Android sem fio.

                                Sob o capô, traz como motor padrão o V6 3.6 litros, com 294 cv e 35,5 kgfm. Mas a versão Summit avaliada trazia como opcional o veterano, porém atualizado, motor HEMI V8 de 5.7 litros. Ele rende a potência de 362 cv, com torque de 52,9 kgfm, e é gerenciado por uma transmissão automática de oito velocidades. O sistema de tração 4X4 é o Quadra-Trac II AWD com sistema Select Terrain. Portanto, as capacidades off-road estão garantidas. Afinal, é um Jeep.

                A Jeep pensou grande ao redesenhar um de seus produtos mais importantes e também caprichou na execução. O Grand Cherokee ainda é um SUV com excelente capacidade para o fora-de-estrada, mas agora se destaca pelo luxo, pelos equipamentos e pela condução rodoviária. Os preços das versões mais completas ficam em torno de US$ 65 mil nos Estados Unidos – ou aproximadamente R$ 350 mil –, preço nivelado com o de uma Mercedes-Benz GLE 450 4Matic, modelo intermediária na gama alemã, que é menos equipada.

                                O refinamento na construção também impressiona. Não há qualquer vazamento de vibração ou ruídos do trabalho mecânico para dentro do habitáculo, a não ser que o condutor decida explorar as faixas mais altas de rotação para se deliciar com o som do motor V8. Quanto ao isolamento dos ruídos de rolamento e vento, é quase absoluto. Apenas em altas velocidades se ressente de um pouco mais de filtragem.

                As respostas do motor são excelentes. As acelerações são acompanhadas pelo rugido viciante típico que os oito cilindros de Detroit emitem. A transmissão, por sua vez, funciona perfeitamente. As transições são suaves e imperceptíveis e sempre encontra a relação certa para extrair melhor a potência do propulsor.


 

Compartilhe nas redes sociais

COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte