Jornal MT Norte
Publicidade
Combate ao crime organizado encerra o ano com 165 prisões e 171 toneladas de cargas apreendidas
Entre as apreensões têm destaque as 19 toneladas de defensivos agrícolas, nove toneladas de entorpecentes e três toneladas de explosivos
18:14   05 de Janeiro, 2022
bd006a338ccc8076038f00968c66e9bb.jpg

Raquel Teixeira | Polícia Civil-MT

A repressão e o combate ao crime organizado realizados pela Polícia Civil em Mato Grosso resultaram em 165 prisões e centenas de produtos apreendidos, entre janeiro e dezembro do ano passado. Entre as apreensões têm destaque as 19 toneladas de defensivos agrícolas, nove toneladas de entorpecentes e três toneladas de explosivos, fruto do trabalho realizado, ao longo do ano de 2021, em diversas operações da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO).

As investigações sobre crimes como extorsão mediante sequestro, roubo e furto a banco e caixas eletrônicos, roubo de cargas e de defensivos agrícolas e contra o crime organizado tiveram ainda como resultado a apreensão de 77 veículos, 33 armas de fogo.

O delegado Vitor Hugo Bruzulato Teixeira pontua ainda que o trabalho da unidade policial teve como reflexo a descapitalização de organizações criminosas, com o bloqueio de R$ 12 milhões de contas bancárias de investigados, a apreensão R$ 616 mil em espécie e o sequestro judicial de um imóvel avaliado em R$ 500 mil.


“Todo esse material apreendido ou bloqueado e as prisões realizadas são resultado de trabalhos ordinários e também das quatro principais operações realizadas ao longo do ano pela GCCO, como a Safra, Resarcire, Volantes e Bereu”, explica o delegado ao se referir, entre elas, à operação que prendeu a maior parte do grupo criminoso envolvido no assalto a agências de cooperativas de crédito no norte do estado.

Novo Cangaço

Uma das investigações de destaque na unidade, a Operação Volantes culminou com o indiciamento de 13 criminosos pelo assalto ocorrido em 4 de junho a duas agências de cooperativas de crédito em Nova Bandeirantes. O crime, ocorrido na modalidade conhecida como 'novo cangaço', teve o envolvimento identificado de 22 criminosos, sendo que destes, 9 morreram em confronto com equipes da Polícia Militar, durante as buscas em áreas de mata da região. Outros 9 tiveram as prisões decretadas, sendo cinco presos pela Polícia Civil durante a operação.

A investigação conduzida pela GCCO apurou que o esconderijo dos assaltantes foi montado a 46 km da cidade de Nova Bandeirantes e eles tentaram confundir os policiais, roubando veículos e queimando em um ponto diferente.  A maioria da quadrilha veio do Nordeste e contou com apoio de um empresário de Mato Groso, que fazia parte do grupo responsável pelo resgate. Eles chegaram no início do mês de maio em Alta Floresta, local que serviu de base para a prática do crime.

Roubo de cargas

A Gerência de Combate ao Crime Organizado tem como um dos pilares a investigação de roubo e furto de cargas, um das atribuições recentes anexadas ao trabalho da unidade. As apurações desse tipo de crime realizadas durante o ano passado tiveram como resultado a apreensão de três toneladas de explosivos e 140 toneladas de cargas diversas.

A carga de explosivos e acessórios iniciadores foram apreendidos após a GCCO receber informações sobre o transporte do material transportado para a região norte do estado. O caminhão bitrem foi identificado e a abordagem realizada em Peixoto de Azevedo, onde estavam os explosivos sem documentação legal escondidos sob uma carga de soja. As investigações apontaram indícios de que o material seria utilizado na prática de roubos a instituições financeiras e de transporte de valores, bem como em garimpos clandestinos das regiões centro e norte do país.

“Através dessa aproximação com as delegacias do interior de Mato Grosso e até mesmo de outros estados, em que é dado apoio as ações operacionais e de inteligência, é possível a troca de informações que possibilitam trabalhar de forma conjunta na organização de algumas ações, garantindo maior eficácia do trabalho investigativo”, explicou. 


Em outra ação, realizada em parceria entre a GCCO e a Delegacia Especializada de Roubos e Furtos de Rondonópolis, foram apreendidas 85 toneladas de soja desviadas, avaliadas em R$ 300 mil. As diligências resultaram ainda na apreensão de um trator, uma motocicleta e uma caminhonete, utilizados na atividade ilícita e na prisão em flagrante de um integrante de associação criminosa envolvida em desvios de cargas no estado de Mato Grosso. O caminhão que transportava os grãos passou a ser monitorado após informações de que a carga seria levada para um galpão no distrito industrial de Rondonópolis, de onde seria desviada do seu destino. 

“O nosso trabalho também contou com a parceria de outras delegacias, principalmente do interior do estado, bem como com outras instituições da segurança pública. Esses trabalhos integrados, aliados à inteligência policial, são fundamentais para o enfrentamento das organizações criminosas”, finaliza o titular da GCCO.

Denúncias

A população pode colaborar enviando informações pelo Disque 197 ou diretamente à GCCO por mensagem no Whatsapp (65) 98463-2655 ou no e-mail:http:// gcco@pjc.mt.gov.br 


 

Compartilhe nas redes sociais

COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte