Jornal MT Norte
Publicidade
         
      
         
Visão artística
Em "A Regra do Jogo'', Carmo Dalla Vecchia vive personagem com conflitos densos
10:19   04 de Março, 2016 - Fonte: Jornal Mato Grosso do Norte

 

por Caroline Borges

TV Press

      Carmo Dalla Vecchia gosta de manter um olhar apurado quando o assunto é sua verve artística. No ar em "A Regra do Jogo" como o misterioso César, o ator de 44 anos encontrou na fotografia uma função que foi além do "hobby". Foi também uma forma expandir sua sensibilidade. "Tive muita experiência por já ter sido assistente fotográfico e modelo. É uma área que me interessa muito. Existe um olhar muito treinado. Acho até que tenho mais segurança ali do que como ator", compara. Na história de João Emanuel Carneiro, o personagem vive atormentado pela culpa de ter matado os filhos em um acidente de carro. Após fugir de casa, acaba se relacionando com Domingas, papel de Maeve Jinkings. ''Ele sofreu um trauma e não quer criar nenhuma conexão com qualquer coisa que remeta ao acidente dos filhos", afirma.

P – César começou a novela como um personagem misterioso e, logo depois, se envolveu em um triângulo amoroso. Como você avalia a trajetória do papel ao logo da trama?

R – Ele sempre quis fugir do passado. Sofreu um trauma forte e não queria conexão nenhuma com o passado. Não há uma amnésia diagnosticada, mas ele se sente muito atingido pelas questões do passado. A Domingas foi um refúgio. No entanto, há conflitos éticos e morais para que ele assuma uma relação concreta com a Domingas.

P – Você entrou no meio da trama de "A Regra do Jogo". Teve alguma dificuldade para se adaptar ao ritmo da produção?

R – Foi bem estranho de início. Sentia que todo mundo já estava afiado. É uma responsabilidade muito grande. Era uma equipe já conhecida, mas, mesmo assim, foi bem diferente. Em "Império", também entrei no meio. Não sei se gosto muito disso (risos).

P – Nos últimos anos, você tem se envolvido bastante com fotografia. Tem vontade de investir nisso dentro da tevê?

R – Não, não tenho vontade de virar diretor de fotografia, por exemplo. Gosto do prazer de fotografar. Talvez, com o tempo, me dedique mais, ainda não sei. Me imagino fazendo exposições e situações em que eu possa fazer e criar. Mas tenho uma demanda muito forte como ator. Há pouco tempo, até fotografei um espetáculo. Toda a parte de divulgação foi minha. Até me ofereceram cachê, mas fiz por prazer mesmo.

P – A novela está na reta final. Você já tem projetos engatilhados para depois do folhetim?

R – Durante a própria novela, gravei uma série que será exibida na Itália no segundo semestre do ano que vem. O nome é ''Di Padre In Figlia''. A história começa na década de 1950 e fala sobre a revolução feminina na Itália. Faço um imigrante com ascendência italiana que mora no Rio Grande do Sul. Lá, ele conhece o grande amor de sua vida.

P – Você negociou algum acordo com a equipe da novela para gravar a série?

R – Comecei gravando na Itália e terminamos aqui. Como já estava tudo acordado, duas vezes por semana, eu matava minhas gravações da novela para me dedicar à série.

 

"A Regra do Jogo'' – Globo – De segunda a sábado, às 21:15 h.

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte