Jornal MT Norte
Publicidade
         
      
         
Vacinação contra febre aftosa deve imunizar 12 milhões de bovinos
A vacina já pode ser adquirida nas revendas autorizadas pelo Indea
09:25   02 de Maio, 2016

Dayanne Santana 
Sedec-MT 

A primeira etapa da campanha de vacinação contra febre aftosa começou neste domingo (01.05) e encerra no dia 31 de maio. A previsão é a de imunizar 12 milhões de cabeças. O lançamento oficial foi realizado nesta sexta-feira (29.04), na Fazenda JK, localizada na BR-364, em Santo Antônio de Leverger.
Nesta etapa, o produtor deve vacinar todo o rebanho bovino e bubalino, de 0 a 24 meses de idade, com exceção das propriedades do baixo Pantanal, que pela dificuldade no manejo dos animais no período de cheia tem a prerrogativa de realizar a vacinação no mês de novembro ou quando houver saída de animais da propriedade.
O secretário adjunto de Agricultura da Secretaria de Desenvolvimento Econômico,Alexandre Possebon, destacou que o Estado mantém há 20 anos, o status de área livre de febre aftosa devido ao comprometimento do produtor rural.
“O pecuarista já tomou ciência da importância de manter o Estado livre de febre aftosa e agora estamos passando para uma nova fase. Com o Imac (Instituto Mato-Grossense da Carne) queremos aumentar a renda e valorizar a carne produzida em Mato Grosso. A vacinação é o que dá suporte para conseguirmos fazer esse trabalho”.
Livre de aftosa com vacinação- Mato Grosso comemora em 2016 a marca de 20 anos de área livre de febre aftosa com vacinação, reconhecida pela Organização Mundial da Saúde Animal (OIE). O Estado é o detentor do maior rebanho bovino comercial do país, com 29,2 milhões de cabeças.
Para o presidente do Imac, Luciano Vacari, o controle do status sanitário aliado à produção de qualidade abre portas para a exportação. “Foi por meio do controle sanitário que obtivemos o status sanitário de ‘livre de febre aftosa com vacinação’, reconhecido mundialmente como um controle de qualidade que é fundamental para um Estado com grande extensão territorial, com o maior rebanho comercial do Brasil. E nós queremos utilizar esse maior rebanho para exportarmos a melhor carne do Brasil”.
O produtor rural já pode se dirigir a uma loja licenciada pelo Indea para adquirir a vacina. A comunicação da vacinação precisa ser feita até 10 de junho, nos escritórios do Indea  localizados em todos os municípios mato-grossenses. O produtor que atrasar a comunicação fica impossibilitado de emitir Guia de Trânsito Animal (GTA) por um período mínimo de 30 dias.
Quem não vacinar o rebanho dentro do período da campanha pagará multa de 2,25 em UPF (Unidade Padrão de Fiscal) por cabeça de gado não vacinado. De acordo com o gerente da fazenda, Leonel Brod, a cada campanha a propriedade mantém 100% de eficiência na vacinação.
“Anualmente atingimos a eficiência de 100% de imunização do rebanho. Acredito que muitos produtores estão encaixados nesse percentual, devido ao valor agregado que se tem e aos benefícios ao fazer um manejo sanitário eficiente. Este é um ano de desafio, em que se não tiver um manejo sanitário eficiente você não tem um sistema de reprodução eficiente e não consegue colocar o seu produto no mercado”.
Fronteira Brasil/Bolívia- Oitocentas propriedades localizadas na fronteira seca entre Brasil e Bolívia, nos municípios de Cáceres, Pontes e Lacerda, Porto Espiridião e Vila Bela da Santíssima Trindade, terão o acompanhamento de 22 equipes do Indea. Um rebanho de 200 mil cabeças terá acompanhamento vacinal pelos técnicos do serviço de defesa sanitária estadual.

A diretora técnica do Indea, Daniella Bueno, explica que o Instituto tem realizado um trabalho específico em áreas consideradas de maior vulnerabilidade. “É uma vigilância específica nas propriedades localizadas na linha de fronteira. Todas essas propriedades são notificadas e a vacinação é assistida, fiscalizada ou realizada com agulha oficial. Acompanhamos em média 2% do total de propriedades do Estado, essa é uma meta repassada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, e acompanhamos áreas que podem oferecer risco sanitário maior, que são propriedades com grande movimentação de animais, propriedades em assentamentos e no entorno dos assentamentos, e de eventos agropecuários”.
Durante a primeira parada da Caravana da Integração, no município de Cáceres, no dia 22 de abril, o Fundo Emergencial de Saúde Animal (Fesa) e o Governo do Estado de Mato Grosso entregaram quatro veículos L-200 Triton para o Indea.
Os veículos equipados com barraca, placas de sinalização e outros equipamentos de uso obrigatório para fiscalização sanitária, serão usados em barreiras volantes fiscalizatórias na área de fronteira com a Bolívia. Os veículos foram entregues para as unidades de Cáceres e Pontes e Lacerda.
Brucelose- O produtor pode aproveitar o período para vacinar as fêmeas com idade de 3 a 8 meses contra brucelose. A primeira etapa da campanha teve início em 1º de janeiro e vai até 30 de junho. A vacinação precisa ser feita uma única vez, sendo destinada a fêmeas entre 3 a 8 meses de idade. É proibida a vacinação em machos de qualquer idade e em fêmeas com idade superior a 8 meses.
As bezerras deverão receber a marca com a letra V, acompanhada do algarismo final do ano da vacinação, no lado esquerdo da cara como, por exemplo, o V6. A vacinação deve ser feita por médico veterinário ou vacinador sob sua supervisão. O atestado de vacinação deve ser apresentado ao Indea até o dia 10 de julho.

 

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte