Jornal MT Norte
Publicidade
         
      
         
Prorrogado prazo para produtores aderirem ao CAR
Não há previsão de punição direta ao produtor que não aderir ao CAR, mas ele perde esta série de benefícios
09:12   06 de Maio, 2016

ff sancionou a Medida Provisória (MP) nº 724, de 04 de maio de 2016, que estende o prazo até 05 de maio de 2017 para inscrição no Cadastro Ambiental Rural (CAR) e para adesão ao Programa de Regularização Ambiental (PRA) para os proprietários de imóveis rurais de até quatro módulos fiscais, unidade de medida que varia de acordo com o município do país, indo de cinco a 110 hectares.
Segundo Alice Thuault, diretora adjunta do Instituto Centro de Vida (ICV), a medida é positiva, uma vez que o cadastro dessas propriedades é de responsabilidade do próprio governo. “Não seria justo os pequenos produtores perderem os benefícios da lei porque o governo não conseguiu realizar o cadastro dessas propriedades dentro do prazo de 05 de maio”, explica.
A MP contempla exclusivamente os proprietários de imóveis rurais até quatro módulos fiscais. Para os demais, se encerra nesta quinta-feira (05) o prazo para se inscrever no CAR e aproveitar os benefícios da adesão. 
Em Mato Grosso, segundo dados da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema-MT) divulgados na terça-feira (03), cerca de 89% da área passível de cadastro já está inserida na base do CAR, o número corresponde a 65,79 milhões de hectares. Do total de cadastros do Estado, ainda de acordo com a Sema-MT, a maioria está na faixa de até quatro módulos fiscais: 69.279 imóveis. Outros 9.733 imóveis estão na faixa de cinco até dez módulos fiscais; e 14.294 imóveis têm mais de dez módulos fiscais. Os municípios com maior área cadastrada são Querência (93%), Confresa (89%), Bom Jesus do Araguaia, Santa Cruz do Xingu, Canabrava do Norte, Nova Ubiratã e São José do Xingu (todos com 86%).
Entre os benefícios da adesão ao CAR dentro do prazo está a regularização das Áreas de Preservação Permanente (APP) e Reserva Legal (RL) com vegetação alterada até 22 de julho de 2008, a possibilidade de acessar crédito rural e linhas de financiamento somado a isenção de impostos para insumos e equipamentos. 
Não há previsão de punição direta ao produtor que não aderir ao CAR, mas ele perde esta série de benefícios, além da suspensão da aplicação de multas e a recomposição do passivo em 20 anos. 
O CAR foi implantado em maio de 2014 e, inicialmente, os proprietários rurais tiveram um ano para o cadastramento. A baixa adesão em algumas regiões e problemas de compatibilidade dos sistemas estaduais com o nacional, no entanto, levou o governo federal a prorrogar por mais um ano o prazo. Isso só foi possível porque havia uma previsão legal no Código Florestal, reformulado em 2012.

O CAR registra as características das propriedades rurais e mesmo quem não tem a titularidade da terra é obrigado a fazer o cadastro, que passará por uma análise de verificação e validação pelo órgão de meio ambiente de cada Estado.

 

 

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte