Publicidade
         
      
         
Saiba quais são as principais causas de manchas na pele
A tendência é que o aspecto piore diante da sol. O principal cuidado para evitar manchas é aplicar filtro solar diariamente
15:01   15 de Junho, 2016

Manchas na pele costumam ser apenas um problema estético. Mas é preciso ter atenção: elas também podem ser indicativos de doenças mais graves. Por isso, é importante ficar atento às causas das marcas, que podem variar. Quem explica melhor é o dermatologista Jardis Volpe.
“As manchas de pele são provocadas, sobretudo, por um pigmento chamado melanina, que dá a cor marrom para a pele. Seu estímulo depende da radiação ultravioleta proveniente do sol, por isso tanto a UVB quanto a UVA podem causar essas marcas de envelhecimento”, sinaliza Volpe.  
Além da radiação, há outras causas que permeiam o surgimento de marcas escurecidas na pele. “Um tipo de mancha bem conhecido é o melasma ou as manchas da gestação”, explica o dermatologista. No período da gravidez, elas costumam surgir na região malar, da testa e do buço e estão relacionadas à questão hormonal.
Independente da mancha, a tendência é que o aspecto piore diante da exposição solar. Conforme explica Volpe, uma pele com manchas já sofreu algum grau de fotoenvelhecimento. Esse dano é crônico, cumulativo e progressivo. Se a incidência de sol continuar – e sem os cuidados necessários -, o problema se agrava.
Assim, o principal cuidado para evitar manchas é aplicar filtro solar diariamente – durante todo ano. “O protetor deve ser usado a cada duas horas, se estiver diretamente exposto ao sol ou duas vezes ao dia se não. O fator deve ser de, no mínimo, 30. Diante da exposição, a recomendação é dobrar o FPS, principalmente para quem tem pele clara”, ressalta.
É preciso ter uma atenção especial também quanto ao aspecto da mancha. “Ela pode ser sintoma de uma lesão pré-maligna para câncer de pele. Por isso, é importante que seja analisada por um dermatologista antes de qualquer tratamento”, reforça o especialista. O profissional poderá fazer exames auxiliares para identificar.
Atualmente, as possibilidades para acabar com manchas desagradáveis são cada vez mais amplas etecnológicas. Segundo o dermatologista Abdo Salomão Jr., existe um tipo de laser chamado Vektra, que é utilizado no tratamento de melasmas, manchas e remoção de tatuagens.
“Ele tem duração de pulso de 15 nanosegundos e é fracionado. Bastam quatro sessões rápidas a cada 15 dias”, informa ele. A dermatologista Shirlei Borelli sinaliza ainda que a emissão de um laser ultrarrápido e de baixa energia, além de clarear as manchas, garante mais luminosidade à pele.
Para quem prefere uma alternativa de custo relativamente mais baixo, os cremes configuram uma opção. Existem produtos clareadores que conseguem diminuir as manchas sem agredir a pele ou causar irritações.

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte