Publicidade
         
      
         
Horta doméstica reaproveita materiais e produz alimentos agroecológicos
11:06   08 de Agosto, 2016

Alfaces verdinhas, macias e que não recebem agrotóxicos são produzidas na Embrapa Pantanal por meio de um sistema que aproveita materiais recicláveis, ocupa pouco espaço e exige baixa manutenção. Estamos falando da horta suspensa vertical semi-hidropônica, adaptada para produzir verduras na unidade de pesquisa pantaneira. As plantas crescem em uma estrutura com várias colunas formadas por garrafas pet encaixadas umas nas outras, preenchidas com terra. Usando o gotejamento como método de irrigação, o sistema retém umidade, usa menos água que as hortas convencionais e otimiza a produção.
"O custo é muito baixo. A pessoa tem uma horta o ano todo que ela mesma pode manejar de forma muito simples, muito fácil. É uma plantação pequena que se pode ter em casa de maneira sustentável, reaproveitando material de reciclagem e evitando que ele seja descartado no meio ambiente", afirma o supervisor do Setor de Campos Experimentais (SCE) da Embrapa Pantanal, Cleomar Berselli.
Confira os materiais necessários para montar uma horta vertical semelhante à que existe atualmente na Embrapa Pantanal:
• 3 pedaços de madeira para apoiar as colunas de garrafas – podem ser postes usados ou caibros. O tamanho sugerido é que dois pedaços tenham 1,60m e um tenha 2m;
• 80 garrafas pet de plástico resistente e com o bico afunilado para facilitar o encaixe;
• De 50kg a 60kg de composto orgânico, terra com composto ou 40kg de composto + 10 litros de substrato próprio para horticultura;
• Tinta branca;
• De 15 a 18 metros de arame liso para manter as garrafas suspensas;
• 10 metros de arame fino, fácil de moldar.
Essas quantidades variam de acordo com o tamanho da horta.
Passo a passo- Cleomar ensina como erguer a estrutura: primeiro, monta-se uma ´trave´ com os postes de madeira que deverá servir como base. Depois, as linhas de arame são fixadas na horizontal entre os postes verticais para apoiar as colunas de garrafas (a horta da Embrapa Pantanal tem 7 linhas de arame). "As colunas ficam encostadas nas linhas de arame e presas a elas por um arame mais fino, que contorna as garrafas e as fixa no arame mais grosso", 

diz Cleomar. Também é preciso pintar as garrafas com tinta branca antes de utilizá-las para assegurar que a temperatura da horta se mantenha estável.
Depois, é hora de começar a montar as colunas. A primeira garrafa, a que ficará no chão, deverá permanecer com tampa para reter a umidade no sistema, mas terá o fundo retirado para que a próxima se encaixe. As outras garrafas da coluna deverão ter o fundo retirado, assim como toda a estrutura da tampa – porém, o topo afunilado deve ser mantido para facilitar o encaixe entre elas, de acordo com o supervisor. Cada nova garrafa deverá ser acoplada à anterior já com um pouco de terra dentro. A cada duas ou três garrafas, Cleomar recomenda que se acrescente um pouco mais de terra.
Na Embrapa Pantanal, cada coluna tem nove garrafas, sendo que a última serve para irrigar o sistema. Ela deve ser mantida inteira, tampada e cheia de água. É preciso fazer alguns furos com uma agulha próximo à tampa o gotejamento e um ou dois furos na base para permitir a entrada de ar. O supervisor substituto do SCE, Marcelo Xavier, dá uma alternativa: levar a água produzida por aparelhos de ar condicionado até as plantas por meio de uma mangueira com furos sobre as colunas de garrafas. Dessa forma, enquanto o ar estiver ligado, não é necessário recolocar água no sistema. "Mesmo ficando três dias sem irrigação, as verduras sofrem, mas não perdemos a produção. O próprio sistema se mantém úmido", afirma.

Após a montagem da horta, é preciso fazer alguns cortes nas garrafas para que as plantas tenham espaço para crescer. Cleomar sugere abrir quadrados de 3x3cm ou 4x4cm, mantendo um dos lados do quadrado fixo na garrafa – dessa forma, as verduras terão em que se apoiar quando crescerem. Ele relembra que os dois lados do sistema podem receber plantios. "A gente sugere, ainda, que a horta seja montada no sentido norte-sul por causa do sol. Como estamos em uma região muito quente, não precisamos ter o dia inteiro de sol pleno. Dessa forma, as plantas serão iluminadas ou à tarde, ou pela manhã".

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte