Jornal MT Norte
Publicidade
         
                
Experiência do sistema consorciado na Agricultura Familiar em Apiacás
O modelo de produção tem obtido bons resultados, com a conquista de espaço no mercado local
09:12   05 de Setembro, 2016 - Fonte: Jornal Mato Grosso do Norte
8a3ec65e27ac2b74953511b8187f163b.jpg

ICV

Na região Norte de Mato Grosso, exemplos de práticas sustentáveis de agricultura familiar servem de modelo para outros pequenos produtores rurais. Uma dessas experiências é de Daniel Loretti da Silva, 50 anos, que desde 1992, vive da produção em seu sítio, no município de Apiacás. Nos últimos anos, o pequeno produtor rural aumentou o rendimento da família, ao adotar a prática de sistema consorciado com batata, quiabo, milho, melancia e tomate. O modelo de produção tem obtido bons resultados, com a conquista de espaço no mercado local, ao comercializar com regularidade para supermercados no próprio município.
“Plantar me dá prazer. A gente, desde que nasceu, foi criado no meio da agricultura. Gosto de ver a nossa produção nas prateleiras do mercado daqui. Eu me sinto orgulhoso. Não precisam trazer de fora os alimentos, porque têm a opção de comprar da gente que produz na nossa própria terra. Do jeito que plantamos, temos menos desgaste do solo, o que garante os cultivos o ano todo. Só de tomate, conseguimos cinco safras”, diz o agricultor. 
Silva também vende o que cultiva em uma barraca no centro da cidade e destaca que o cuidado com a produção é dividido com o filho e a esposa. “A rotina começa às 5h até às 11h e depois das 15h até à noite”, conta.
Marcelo Soares de Oliveira, secretário de Agricultura, Meio Ambiente, Indústria, Comércio e Turismo de Apiacás, explica que Silva é um dos agricultores familiares do município que recebem a assistência técnica da pasta e consultoria para a comercialização dos produtos e compra de insumos. 
O objetivo, segundo ele, é valorizá-los, e ao mesmo tempo evitar o êxodo rural. Para isso, também está sendo iniciada uma campanha local para destacar os produtos de Apiacás, nas gôndolas dos supermercados.
“A qualidade da produção é uma preocupação. Métodos simples, como o sistema rotativo e com irrigação por meio de gotejamento, com utilização mínima de defensivos agrícolas, auxilia a potencialização da agricultura familiar no município”, explica. 
Segundo ele, neste conceito de práticas mais sustentáveis, também são adotadas mais rotinas no dia a dia desses pequenos produtores rurais, como o controle da qualidade do solo. “Ainda é adotado o controle biológico de pragas, com uso de feromônios, por exemplo, no cultivo de tomates e a adubação verde com leguminosas, utilizando crotalária, amaranto e feijão guandu, entre outros para fixar nitrogênio no solo”.Irene Duarte, coordenadora da Iniciativa de Municípios Sustentáveis (IMS) do ICV, explica que este tipo de iniciativa local é apoiado pela organização e vem ao encontro das propostas estaduais do Programa Mato-Grossense de Municípios Sustentáveis (PMS) e da Estratégia Produzir, Conservar e Incluir (PCI), esta última relacionada agricultores familiares, que a instituição auxiliou a constituir os princípios. 

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte