Publicidade
         
      
         
Cadeia produtiva do Pirarucu terá investimentos em 2017
O Pirarucu é chamado de peixe do futuro. A carne é apreciada principalmente na Europa, Japão, China
11:17   06 de Fevereiro, 2017

Andréa Haddad e Henrique Pimenta 
GcomMT e Seaf-MT 

O governador Pedro Taques determinou a liberação de R$ 900 mil para fomentar a cadeia produtiva do Pirarucu na região do Vale do Araguaia. Mas a meta do governo estadual é estender o Programa Pró-Pirarucu as demais regiões do Estado de Mato Grosso. 
Conforme o secretário de Estado de Agricultura Familiar e Assuntos Fundiários, Suelme Evangelista Fernandes,  além da região do Vale do Araguaia, a criação de Pirarucu é viável em praticamente todos os municípios do Estado.  
Devido à pesca esportiva e à situação de extinção do Pirarucu, a proposta é totalmente voltada à sustentabilidade ambiental. “Cada peixe criado em cativeiro vai ter um chip para identificar a sequência dele para evitar que a fiscalização ache que isso é pesca predatória”, comentou Suelme. “Estivemos em Rondônia com a Embrapa conhecendo criação em tanque rede, e técnicos deste governo também foram ao Amazonas para buscar experiências e realizar o projeto”, finalizou.

Pró-Pirarucu- O pirarucu é um peixe natural da bacia amazônica, que pode atingir 2,60 m de comprimento e pesar 160 kg. Prefere águas com temperatura acima de 25º, sendo o maior peixe fluvial de escama. 
O objetivo do Pró-Pirarucu é difundir tecnologias e práticas de manejo do pirarucu para criação em cativeiro e conservação da espécie no seu habitat. Após o projeto piloto, serão instaladas Unidades de Referência Tecnológica (URTs) para capacitação de piscicultores, técnicos, formação de mão de obra e divulgação da atividade em todo o Estado. 
Peixe do Futuro-  João Vecchi, da Emaper, afirma que o Pirarucu é chamado de peixe do futuro. “A carne é apreciada principalmente na Europa, Japão, China, país esse que já está vindo comprar em Rondônia”. 
Segundo ele, o preço do peixe em restaurante é altíssimo, mas para o produtor o quilo é praticamente quase o dobro do preço convencional. “Enquanto o preço convencional está a R$ 5 o quilo, o Pirarucu é pago pelo frigorífico ao produtor na base de R$ 9. É um peixe com uma velocidade de ganho de peso muito rápido, para se ter uma ideia o Pirarucu no tanque por 12 meses  vai te dar de 10 quilos a 14 quilos”.  

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte