Publicidade
         
      
         
O avesso do avesso
Em "Sol Nascente", Luma Costa vive personagem oposta à de "Pé na Cova"
11:52   24 de Fevereiro, 2017

por Luana Borges

TV Press

      A feição angelical de Luma Costa bem poderia enquadrá-la no estereótipo da mocinha frágil. Mas, a cada trabalho, a atriz mostra que pode subverter esse paradigma e interpretar tipos bem diversos entre si na teledramaturgia. Basta comparar sua atual personagem, a recatada Elisa de "Sol Nascente", com a anterior, a extravagante Odete Roitman de "Pé na Cova". Enquanto no seriado de Miguel Falabella a atriz viveu uma "stripper" em boa parte das cinco temporadas da série, agora, na trama das 18 horas, encarna uma jovem religiosa e reprimida que, aos poucos, vai se soltando. "Eu estava morrendo de saudades de fazer novela. Quando Elisa apareceu para mim com todas as suas possibilidades, me senti instigada. E como atriz, nada melhor do que receber uma personagem que nos tira da nossa zona de conforto", avalia. 

      Na história escrita por Walther Negrão, Suzana Pires e Júlio Fischer, Elisa se estabelece na fictícia Arraial de Sol Nascente ao conseguir um emprego na recepção da pousada em troca de hospedagem. Religiosa, a jovem se veste de forma conservadora. Até que ganha uma transformação de visual de Paula e Dora, papéis de Anna Lima e Juliana Alves, respectivamente. "Essa personagem me levou para um reencontro com o humor. Mas a graça da Elisa está na descoberta de um mundo que ela nunca visitou. Dar esse frescor à sua trama é muito divertido", salienta.

      Antes do início das gravações de "Sol Nascente", Luma participou de um "workshop" junto com o restante do elenco. Foi quando teve a oportunidade de fazer uma preparação corporal para se entrosar com os colegas de cena. Além disso, a atriz foi em busca de uma religiosidade interna para entender melhor o universo em que Elisa está inserida. "Apesar de ter humor na trama da personagem, eu tinha dentro de mim o compromisso de fazer essa relação dela com a religião algo crível e respeitoso. Então, pesquisei muito sobre a origem dos santos, por exemplo. Elisa é quase uma enciclopédia nesse sentido", explica.

      Desta vez, Luma aparece em cena com uma caracterização completamente oposta à de sua personagem anterior, a Odete Roitman de "Pé na Cova". Ela, que estava loura na série de Miguel Falabella, adotou o tom castanho escuro nos cabelos para viver Elisa, que está quase sempre de óculos de grau e roupas comportadas. Mas agora a personagem já experimenta algumas "ousadias" no figurino, com direito a vestidos curtos e bem coloridos. Para a atriz, todos esses elementos são importantes para seu trabalho de composição. "O casamento entre caracterização e figurino é fundamental para um ator se apropriar de seus personagem. Pelo menos, penso assim. É como se a gente virasse uma chave quando veste aquele figurino ou ajeita o cabelo", acredita.

      Na tevê desde uma participação em "Um Anjo Caiu do Céu", de 2001, Luma acumulou personagens em tramas da Globo como "Começar de Novo", "Malhação" e "Fina Estampa", em "Floribella", da Band, e em novelas da Record como "Luz do Sol" e "Poder Paralelo". "Quanto maior for a experiência, mais rico é o caminhar. Todos os trabalhos são válidos, servem como fonte de aprendizado", orgulha-se ela, que enxerga todas as personagens que fez com importância. "Mas a Odete está em um lugar especial. Texto incrível, elenco fantástico", entrega.

"Sol Nascente"  – Globo – De segunda a sábado, às 18h20.

 

De ouvido aberto

      Depois de ficar no ar por cinco temporadas de "Pé na Cova", Luma Costa passou a ser bastante associada à extravagante Odete Roitman, sua personagem na série de Miguel Falabella. E é justamente o fato de aparecer em "Sol Nascente" com um visual completamente diferente, tanto no cabelo quanto no figurino, que mais gera repercussão junto ao público. "Em um primeiro momento, as pessoas falaram muito sobre a caracterização e essa transformação radical em relação ao último trabalho. Depois, veio a desconfiança sobre as verdadeiras intenções de Elisa. Muita gente vinha me dizer que ela não tinha nada de beata e que escondia algum segredo", diverte-se.

      Para a atriz, ter acesso à opinião de quem acompanha seu trabalho é fundamental. Assim, ela pode ir moldando sua personagem com o desenrolar dos capítulos. "Ainda mais quando a gente faz novela, que é uma obra aberta. Diferentemente do teatro, onde a reação do público é imediata, na tevê o termômetro é esse 'feedback' nas ruas, nas redes sociais e até na imprensa", diz.

 

Instantâneas

# Luma Costa chegou a entrar para a faculdade de Jornalismo, mas trancou o curso para se dedicar melhor à carreira de atriz.

# Em "Poder Paralelo", exibida pela Record em 2009, a atriz viveu sua primeira personagem adulta, a Bebel.

# Depois de cinco anos na Record, Luma voltou para a Globo em "Fina Estampa".

# Este ano, Luma Costa entra em cartaz com o filme "Duas de Mim". "Apesar de ser uma negação na cozinha, fiz uma 'chef' divertidíssima", adianta.

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte