Publicidade
         
      
         
Campanha da Fraternidade propõe reflexão sobre preservação ambiental
Com o tema biomas brasileiros e defesa da vida, Igreja Católica realiza Campanha da Fraternidade
10:38   08 de Março, 2017

Edemar Savariz
Mato Grosso do Norte

A Campanha da Fraternidade é realizada todos os anos pela Igreja Católica. E em 2017, envolve a comunidade com diversas ações pastorais em todas as regiões do Brasil.
A Campanha da Fraternidade é marcada pelo empenho de todos em favor da solidariedade e fraternidade, sempre abordando temas atuais, que a cada ano propõe uma transformação social e comunitária, seja em desafios sociais, econômicos, culturais e até mesmo religiosos, onde toda a população é convidada a ver, julgar e agir.
Com o tema Biomas Brasileiros e Defesa da Vida, e o lema Cultivar e Guardar a Criação, a Igreja quer chamar a atenção para a diversidade de cada bioma e a necessidade do respeito à vida e à cultura das pessoas que vivem neles.
O Pároco da Paróquia Santa Cruz de Alta Floresta, Padre Rodrigo Ferreira da Costa, conta que a Igreja trabalha em dois elos, a conversão e a caridade. “A Igreja trabalha na Campanha da Fraternidade ligada a dois polos da quaresma, que é conversão e caridade. O Papa tem nos pedido uma conversão ecológica, ou seja, uma mudança nos hábitos de cultivar e de produzir, uma maneira diferente de se relacionar com a natureza”, disse o Pároco.
Para o Padre Rodrigo, a Igreja não pede que nós não produzirmos, mas que seja uma produção sustentável. “Temos que produzir sem destruir. Então, essa é a conversão ecológica que a Igreja pede”, enfatiza. 
“Tudo o que nós fazemos de mal contra a natureza, acaba afetando o ser humano e principalmente os mais pobres. Os desastres ecológicos e as doenças acabam atingindo diretamente a classe menos favorecida. Esse foco nos remete a caridade da campanha”, complementa. 
Para o Pároco o lema da campanha serve de alerta para a preservação da natureza. “O próprio lema da Campanha “Cultivar e guardar a criação” nos faz a reflexão de que devemos preservar a vida. Tudo o que existe: o ser humano, os animais e as plantas, tudo isto nasceu das mãos de Deus. O ser humano tem que usufruir de maneira sustentável”, disse Padre Rodrigo.

“Quando a Igreja coloca os biomas é para olharmos cada conjunto de vida e percebermos que existe uma identidade para cada bioma. No Brasil nós temos 6 biomas e cada um deles tem uma influência nas plantas, animais e até na cultura das pessoas. Se eu destruir um bioma, estou matando uma identificação que o outro não irá repor. Em Mato Grosso, nós temos 3 biomas que são a Amazônia, o Serrado e o Pantanal. São biomas com sua diversidade de vidas, mas também com seus desafios para cultivar e guardar”, complementa.


CAMPANHA EM ALTA FLORESTA – A Igreja Católica está com uma ampla programação para os meses de março e abril. “Nós fizemos um treinamento de líderes e depois eles irão às comunidades trabalhar o tema da Campanha. Nos dias 25 e 26 de março eles estarão em todas as comunidades rurais, estudando e aprofundando esta Campanha e nos dias 27 e 28 estarão nas comunidades urbanas. Esse é o primeiro passo, conscientização, porque às vezes nós fazemos o mal por desconhecer como fazer diferente”, disse.
“Também temos trabalhados nas escolas falando sobre o tema, até porque este assunto é muito estudado. Também temos o material da Campanha que é para as famílias se reunirem, estudarem e aprofundarem no tema e no lema da Campanha da Fraternidade 2017”, finaliza.

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte