Publicidade
         
      
         
Ferrari escondendo jogo? RBR mostra preocupação com carro veloz do rival
Consultor de equipe austríaca, Helmut Marko nota Vettel desacelerando no fim da volta para esconder ritmo real do carro. Mesmo assim, foi o segundo melhor, com Raikkonen em primeiro
12:11   15 de Março, 2017 - Fonte: G 1

A cena causou preocupação para as equipes rivais. Local: Circuito da Catalunha, em Barcelona. Penúltimo dia de testes das equipes na pré-temporada de Fórmula 1. Sebastian Vettel vinha em uma volta voadora com o carro de 2017 da Ferrari. Saindo da última curva, pegou a reta de largada/chegada. E de repente... tirou o pé do acelerador. Mesmo assim, ficou com o segundo tempo das atividades.

Escondendo jogo? Para Helmut Marko, ex-piloto e consultor da RBR, sim. Vettel procurou desconversar e deu pouca importância ao fato. A prática é conhecida no meio da Fórmula 1 como "sandbagging". Melhor dizendo, saco de areia, quando o piloto não quer mostrar para o adversário o potencial, a velocidade máxima do carro que tem em mãos para a temporada.

- O que me preocupa um pouco é que conheço Vettel muito bem, ele propositadamente deu tudo para fazer a volta mais rápida no início e a terminou em linha reta de forma mais desacelerada. E se você faz algo assim, então sua autoconfiança e o conhecimento sobre ter muito mais no carro é enorme - afirmou Marko ao canal austríaco Servus TV.

Em seguida, Kimi Raikkonen cravaria a melhor marca de toda a pré-temporada e daria uma declaração que deixaria os rivais ainda mais preocupados:

- Se nós quiseremos, poderemos ser mais rápidos ainda. Obviamente, nós fazemos o teste mostrando velocidade, só que ainda há muitas coisas que nós podemos colocar em prática para termos um desempenho ainda melhor esse ano. Hoje foi um dos melhores dias dessas duas semanas, mas ainda podemos mais - disse Raikkonen.

Como os tempos entre a Ferrari, a Red Bull e a Mercedes estão bem próximos, Marko acha que o verdadeiro ritmo de qualquer um dos carros ainda não foi visto, pelas cargas de combustível e as configurações de mapeamento do motor utlizadas nos testes.

- Ninguém mostrou todas as suas cartas. Se você transportar mais 10kg de combustível, você ganha cerca de 0,35 segundo. Além disso, os mapeamentos do motor diferem, o que pode gerar até um segundo, ou não - disse o ex-piloto e hoje chefe de equipe da Red Bull.

No entanto, uma coisa é certa para Marko: a Ferrari hoje é superior.

- Muita coisa foi mantida no escuro, mas se a corrida (em Melbourne, abrindo a temporada) tivesse acontecido com o mesmo tipo de temperatura que tínhamos (no teste), então a Ferrari estaria na frente, com certeza.

Ajustes no carro e Mercedes

Enquanto o programa de testes da Red Bull foi prejudicado por problemas de confiabilidade com a Renault, Marko diz que espera bom progresso com os carros para a estreia na temporada, em Melbourne.

- Apresentamos algumas falhas desagradáveis. Não houve ainda o progresso que tínhamos buscado. Tradicionalmente, para Melbourne, haverá um monte de peças novas que parecem diferentes também.

Falando em adversários, Marko também considera que o novo piloto da Mercedes, Valtteri Bottas, ainda não mostrou que é o parceiro certo para Lewis Hamilton, e isso abre uma porta para os rivais se aproximarem do piloto britânico se a equipe alemã estiver na frente.

- Barcelona mostrou que Bottas não pode atingir a velocidade de Hamilton. Se a Mercedes tiver o mesmo tipo de domínio técnico, não haverá a mesma formação 1-2 novamente. Então, outros poderão se colocar entre os pilotos da Mercedes.

 

 

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte