Jornal MT Norte
Publicidade
         
      
         
Vereador Sílvio diz que não aceitará mais provocações de Zilmar
Ele está há 20 anos na Câmara e em gestões passadas não conseguia nem patrolamento de uma rua
10:17   30 de Março, 2017 - Fonte: Jornal Mato Grosso do Norte

Reportagem
Mato Grosso do Norte

O vereador Silvio Dutra (PDT), afirmou que o problema do vereador Zilmar Assis de Lima é ciúmes dos resultados positivos do grupo da maioria, formado por quatro vereadores do PDT e um do PSC na Câmara Municipal de Guarantã do Norte.  Desde o início desta Legislatura, os dois parlamentares tem promovido discussões acaloradas nas sessões do Legislativo municipal. Zilmar é da base do prefeito e Sílvio Dutra é da oposição. 
O pedetista, entretanto, disse que vai ignorar as interpelações do vereador Zilmar durante as sessões da Câmara Municipal, feitas com a intenção de provocá-lo e tentar desqualificar o seu trabalho.
“Ele está há 20 anos na Câmara Municipal e tem poucas indicações atendidas. Em gestões passadas, não conseguia sequer o patrolamento de uma rua. Quando entra um grupo novo na Câmara e o trabalho começa a aparecer, começa o ciúme. O povo está cansado de briga e vou combater o mal com o bem. Vou ignorar o que ele fala, seus ataques e vou continuar mostrando soluções para os problemas do município. Não vou mais aceitar suas provocações e evitar discussão em plenário”, disse o vereador.
Segundo Sílvio, o vereador Zilmar não conhece o Regimento Interno da Câmara Municipal. E se sente incomodado porque, com a ascensão do grupo da maioria, as comissões da casa passaram a existir. “Algumas comissões da Câmara de Guarantã não se reuniam há mais de 9 anos. Estamos fazendo a diferença e iniciando uma nova fase aqui na Câmara, trabalhando com respeito a sociedade, moralização e com uma política que visa resultados sociais”, frisa o parlamentar.    
Conforme o vereador, o comportamento de Zilmar numa sessão em que foi derrubado um veto do executivo, foi de um vereador de vários mandatos que desconhece o Regimento. “De forma equivocada, ele pediu a suspensão da sessão.Talvez seja pelo fato de que desde 2009 que a Câmara de Guarantã não derrubava um veto do Executivo municipal”, disse Sílvio. 

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte