Publicidade
         
      
         
Governador Pedro Taques dá bolo e deixa vereadores indignados
Alguns vereadores viajaram mais de 1000 km para o encontro com o governador
10:40   05 de Abril, 2017 - Fonte: Jornal Mato Grosso do Norte

José Vieira do Nascimento
Editor de Mato Grosso do Norte

O presidente da Câmara Municipal de Alta Floresta, Emerson Machado (PMDB), em entrevista à Mato Grosso do Norte na manhã desta terça-feira, 4, falou da indignação dos presidentes de Câmaras do Estado, que tinham agenda com o governador Pedro Taques na semana passada no palácio do governo em Cuiabá, mas a reunião foi simplesmente cancelada sem qualquer justificativa.
Segundo o vereador, o encontro tinha sido marcado com bastante antecedência e alguns vereadores viajaram mais de 1000 quilômetros para participar e levar as reivindicações de seus municípios para o chefe do executivo estadual.
“Eu viajei 800 quilômetros. É um dia de viagem de carro para ir e outro para voltar. O governador deveria ter desmarcado com antecedência, que não teríamos feito a viagem. Os vereadores ficaram indignados e revoltados com a atitude do governador, que foi uma falta de respeito e um descaso”, protestou Emerson. 
A pauta do encontro que acabou não acontecendo entre os presidentes de Câmaras de Mato Grosso e Pedro Taques, seria para os vereadores apresentarem as cobranças sobre as demandas de cada município. 
Emerson assegurou que suas cobranças seriam sobre as deficiências na estrutura do Hospital Regional de Alta Floresta, incluindo o atraso salarial dos médicos, que vão entrar em greve se o governo não efetuar o pagamento, a redução no valor do repasse do Fethab para Alta Floresta, que, de R$ 500 mil baixou para R$ 117 e a construção de um trevo ou pelo menos uma rotatória na MT 208 na entrada da cidade.
“Protocolei estas cobranças, mas queria ter feito pessoalmente com o governador”, disse.
Emerson enfatiza que o governador Pedro Taques precisa rever a questão relacionada a redução do valor do Fethab. Com o que está sendo repassado pelo governo, a prefeitura não terá condições de fazer a manutenção de estradas e pontes.
Sobre o Hospital Regional, o parlamentar enfatiza que o governo estadual precisa urgentemente adotar as medidas necessárias para melhorar a estrutura do hospital e pagar o salário atrasado dos médicos. “O hospital não é de Alta Floresta, é da região!”, pontua.   

A terceira reivindicação do presidente da Câmara, sobre a construção de um trevo ou uma rotatória na entrada da cidade, na sua opinião, é uma medida que requer urgência por parte do governo estadual.
“É uma questão de segurança! Já aconteceram acidentes graves neste trecho da rodovia MT 208. E o governo não pode ficar esperando que pessoas morram ou fiquem feridas em acidentes, para tomar as providências”, sintetiza o vereador. 
 

 

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte