Jornal MT Norte
Publicidade
         
      
         
Vereador cobra responsabilidade de deputados e senadores na Reformar da Previdência
10:51   05 de Abril, 2017 - Fonte: Jornal Mato Grosso do Norte

Reportagem
Mato Grosso do Norte

O vereador Didas Pires (PPS) afirmou que vai enviar um oficio para os deputados federais e senadores de Mato Grosso, alertando para as consequências que a Reforma da previdência, proposta pelo governo federal, causas aos trabalhadores da inciativa privada e, principalmente, aos trabalhadores rurais. Ele disse que vai solicitar à outras câmaras municipais da região, que também enviem documentos para os representantes do Estado em Brasília, cobrando responsabilidade sobre esta discussão.
Para o vereador, a Reforma da Previdência é crucial para os trabalhadores da iniciativa privada, que contribuem para a previdência do governo Federal e praticamente retira o benefício dos trabalhadores rurais.
“O governo já voltou atrás com relação a algumas categorias, como os funcionários da área de Segurança, como policiais, bombeiros e também para os trabalhadores de Providências municipais. E temos que cobrar também os direitos dos demais trabalhadores”, disse.
Na opinião do vereador, caso a Reforma da Previdência seja aprovada da forma como foi proposta pelo presidente Michel Temer, os pequenos trabalhadores rurais não vãomais conseguir aposentadoria. “O pequeno agricultor é um povo sofrido, que muitas vezes não tem dinheiro nem para pagar o transporte paras vir à cidade. Conheço agricultores que são obrigados a fazerem diárias para os vizinhos para complementar a renda de sua sobrevivência. A grande maioria do pequeno agricultor não tem dinheiro para contribuir com a Previdência”, enfatiza o vereador. 
Conforme o parlamentar, caso a Reforma da Previdência passe no Congresso Nacional, o Brasil se transformará em um país de miseráveis, com muitas pessoas passando necessidades. “Aposentar após 49 anos de contribuição é uma incoerência e os deputado e senadores tem que ter responsabilidade diante de uma proposta tão nociva aos interesses dos menos favorecidos. Se for aprovado, o cidadão vai morrer sem conseguir se aposentar. Os deputados e senadores devem cobrar que o governo reveja e faça ajustes no projeto”, analisa.
Outro item inserido na proposta do governo que atinge em cheio o direito do povo mais pobre, segundo Dida, é a elevação do BPC- Benefício de Prestação Continuada- paga para aquelas pessoas que não conseguem comprovar tempo de contribuição e que não tem uma fonte de renda para se sustentar. 
Hoje, essas pessoas idosas, a partir de 65 anos, que se enquadram neste contexto, passam a receber uma pensão da Previdência, no valor de um salário mínimo, sem direito a 13º. Na reforma, o governo eleva a idade para recebimento deste benefício para 70 anos.

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte