Jornal MT Norte
Publicidade
         
      
         
CARLINDA: Cooperativa melhora qualidade de vida do pequeno agricultor de Carlinda
Projetos do Maracujá e do leite geram renda para pequenos agricultores do município
09:05   17 de Abril, 2017 - Fonte: Jornal Mato Grosso do Norte

Reportagem
Mato Grosso do Norte

A Cooperativa Mista de pequenos Agricultores do setor Caná - Compasc - realizou no dia 31 de março, assembleia Geral, na sede do Rotary Clube de Carlinda, para eleger 2/3 do seu Conselho Fiscal e de Administração. Cerca de 70 associados compareceram ao evento, considerado um sucesso pelos diretores da Compasc.
De acordo com o presidente da Cooperativa, Francisco Severino de Oliveira (popular Chiquinho), durante a assembleia foram apresentados e empossados os novos conselheiros e feita a prestação de contas do exercício de 2017, que foi aprovado por unanimidade. Também foi apresentado aos associados, o novo plano de trabalho para o exercício de 2017.
No exercício financeiro de 2016, conforme Chiquinho, o faturamento bruto da Compasc ultrapassou a R$ 3 milhões. “Graças ao trabalho que estamos realizando, o crescimento da cooperativa foi muito bom. Se compararmos há 2 anos, nosso balanço anual era de R$ 240 mil. O mais importante é que estamos promovendo melhorias na qualidade de vida do pequeno agricultor, através de alternativas de renda”, disse.
Para o presidente da Compasc, os fatores que tem sido primordiais para o crescimento da cooperativa, são as parcerias com a Coopernova, de Terra Nova do Norte, Sicredi, Sindicato Rural de Carlinda e com o produtor do município.

Estas parcerias, conforme ele, possibilitaram desenvolver os projetos do Maracujá e do Leite, que deram certo em Carlinda, melhorando a renda do agricultor Familiar. 
“Com um trabalho sério e efetivo, provamos para o produtor que o sistema de cooperativismo funciona. Hoje, a produção de leite e de Maracujá se transformaram em alternativas de renda para o agricultor familiar, proporcionando melhoras em sua qualidade de vida”, comenta Chiquinho. “Crescemos de 15 produtores para 46 no projeto do Maracujá, com uma projeção de produção de 840 toneladas em 2017”, acrescenta. 
Maracujá- A Compasc, segundo seu presidente, investiu R$ 101 mil no projeto do Maracujá, com a aquisição de adubos, calcário, arame, mudas e defensivos agrícolas, produtos que foram distribuídos aos produtores, para que eles possam melhorar as condições de produção. 
“Eles recebem estes produtos e só pagam com a produção. Estamos oferecendo condições para o agricultor ter incremento na sua produção”, observa.
Projeto leite- O trabalho desenvolvido pela Compasc transformou a produção de leite em uma importante alternativa e fonte de renda para o agricultor de Carlinda. O município produz 220 mil litros de leite por mês, produção entregue para a Coopernova.
O projeto recebeu um investimento de R$ 55 mil para a produção de silagem para os produtores tratarem o gado no período de seca e não diminuir a produção de leite. “Um problema enfrentado pelos produtores de leite é a queda na produção no período da estiagem. A produção caí em até 50%. Com a silagem, o produtor vai manter a produção e não terá queda em sua renda”, explica Chiquinho.
Política social- Através da política social das cooperativas Compasc e Coopernova, a APAE- Associação dos Paes e Amigos dos Excepcionais de Carlinda- recebeu uma doação de R$ 2.323,29. Chiquinho explica que a Coopernova destina 3.8% do leite comercializado no município durante o ano, para a sua política de contribuição social.
“Todos os associados da Compasc contribuíram com este repasse”, observa Chiquinho. 

 

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte