Publicidade
         
      
         
Curso de Medicina: Especialista do MEC faz apresentação de estudo para construção do PPC
Evento foi realizado nesta terça-feira na Faculdade de Alta Floresta
09:58   19 de Abril, 2017

Reportagem
Mato Grosso do Norte

Foi realizada na tarde desta terça-feira, no salão Nobre da Faculdades de Alta Floresta, uma reunião Plenária da comissão Pró-Construção do Hospital Universitário. O evento contou com a participação de prefeitos e vereadores da região, secretários municipais, Dr. Sérgio e José Marcos, diretor técnico e diretor administrativo do Hospital Regional de Alta Floresta e José Antonio Tobias, diretor da Faculdade de Alta Floresta.
O objetivo do evento foi apresentação sobre a construção do projeto Pedagógico do Curso de Medicina, pela professora da Unicamp e consultora do MEC, Dra. Antonia Dalla Pria Bankoff, que está assessorando a Comissão Pró-Construção do Hospital Universitário.
A abertura da reunião foi precedida pelo professor Dr. José Antonio Tobias, que falou da importância do evento para o avanço nos trabalhos, visando a implantação do curso de Medicina.
De acordo com ele, o apoio dos prefeitos da região de Alta Floresta é imprescindível para que o curso de Medicina se torne uma realidade. E explicou a importância do hospital regional, que a princípio, será elevado à categoria de hospital universitário, para a implantação do curso.
O curso de Medicina da Faculdade de Alta Floresta, conforme Tobias, será o primeiro de Mato Grosso, desenvolvido através de uma parceria entre a iniciativa privada e o poder público. Hoje, existem 6 cursos de Medicina no Estado, sendo três da Universidade federal, um estadual e dois particulares.
“O projeto está sendo construído através de uma parceria público privada, envolvendo a Faculdade de Alta Floresta, o governo estadual e os municípios. O processo é complexo, mas estamos trabalhando em união e será uma realidade”, comentou.
Tobias reiterou que o trabalho da comissão, que começou em 2015, vem avançando e conquistando resultados. Conforme ele, a participação dos municípios é importante porque é deles que partem o processo de construção do projeto para o MEC e Ministério da Saúde. “Para o MEC aprovar, o primeiro passo é dos municípios. O hospital é tão importante como a faculdade. Para o MEC e Ministério da Saúde, o hospital Albert Einstein é o hospital universitário”, explicou. 

Para o diretor do hospital regional de Alta Floresta, José Maarcos, o caminho a percorrer para o Hospital Regional de Alta Floresta se transformar em hospital universitário, poderá ser longo. “O hospital tem que avançar bastante. Hoje sua estrutura não suporta mais a carga de trabalho. Num período de no máximo 10 anos terá quer ser construído um novo hospital”, enfatizou.
A professora Dra. Antonia Dalla Pria Bankoff, na sua apresentação, destacou a necessidade da região de formar profissionais da área de medicina. Conforme ela, Mato Grosso é o Estado que tem menos médicos por cada 100 mil habitantes.
A carência é ainda maior quando envolve médicos especialistas. Segundo ela, existem em Mato Grosso, 5 mil e 191 médicos especialistas, o que representa 87 profissionais para grupos de 100 mil moradores. “A carência é muito grande e muita gente morre por enfrentar dificuldade para ter acesso aos serviços destes profissionais. Por isso, ela destaca a importância de se construir um projeto para o curso de ciência de Medicina”, disse. 
Também falou da importância dos municípios apoiarem o projeto. “ O modelo do curso exige isto. Sem o apoio dos municípios e dos hospitais, o curso pode até ser implantado, mas não decola”, enfatiza.
De acordo com ela, o hospital é importante para o curso, porque as aulas teóricas serão na faculdade e as aulas práticas são realizadas no hospital. Os cursos na área de Saúde que serão implantados na Faculdade de Alta Floresta são Farmácia, Biomedicina, Ciências Médicas e Fisioterapia.
O prefeito de Nova Bandeirantes, Valdir Rio Branco, disse que seu município será parceiro da faculdade de Alta Floresta na implantação do curso de Medicina. Para ele, o curso é de grande importância e uma conquista para a região.

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte