Jornal MT Norte
Publicidade
         
      
         
Teles Pires gera luz e lucro para Paranaíta
Com um bom volume de água, as turbinas da Usina Teles Pires bateram recorde de produção com um condicionamento operacional estável
15:14   28 de Junho, 2017 - Fonte: Jornal Mato Grosso do Norte

Reportagem\ Mato Grosso do Norte

 

Considerada como a “capital da energia”, o município de Paranaíta começou o ano de 2017 com o pé direito e esbanjando saúde econômica e financeira com os royalties da geração de energia da Hidrelétrica Teles Pires. Prestes a completar 38 anos, Paranaíta comemorará seu aniversário de emancipação com mais de R$ 5 milhões no bolso, e isso é só neste primeiro semestre, em virtude da compensação financeira da Usina no período de janeiro a maio deste.

A Usina Hidrelétrica Teles Pires (UHE Teles Pires), que hoje está entre as 10 maiores hidrelétricas do país fechou o ano de 2016 e abriu o ano de 2017 com carga máxima. Em primeiro de fevereiro deste ano, a hidrelétrica atingiu seus 1820 MW (megawatts) de potência/hora, num trabalho constante de suas 5 turbinas de 364 MW cada, funcionando dia e noite ao longo de todo o período de “safra energética”, que representa a fase chuvosa na região, quando o rio Teles Pires, onde está localizada a usina, atingiu um excelente volume de vazão para a produção de toda essa energia.

Esse período, que compreendeu o final do ano de 2016 e veio até o final do mês de abriu deste ano, condicionou uma excelente produção energética em detrimento das chuvas que foram generosas com a região norte do estado do Mato Grosso e sudoeste do Pará. Região essa, recortada, justamente na divisa de estados e municípios, de um lado Paranaíta (MT) e do outro Jacareacanga (PA), pelo rio Teles Pires que abriga hoje a UHE Teles Pires e a UHE São Manoel, ainda em construção.

Com um bom volume de água, as turbinas da Usina Teles Pires bateram recorde de produção com um condicionamento operacional estável que garantiu ao empreendimento entregar essa “boa produção” à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e dessa produção extrair as compensações financeiras, tanto para o município de Paranaíta, que segundo a Aneel recebeu nos cinco primeiros meses de 2017, R$ 5,7 milhões, quanto para Jacareacanga que faturou R$ 1,5 milhões.

Energia eficiente- Comparada a outras usinas, Teles Pires consagra-se por sua eficiência em potencial energético. Seus 1820 MW de potência, suficientes para abastecer uma cidade com 5 milhões de habitantes, ou os estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul juntos, traduzem essa eficiência em detrimento de um reservatório a fio d’água, de apenas 160 km². Soma-se ainda o baixo número de propriedades interferidas pelo lago, cerca de 130 e apenas uma família remanejada.

Novos projetos- Hoje, a Companhia Hidrelétrica Teles Pires, responsável pela implantação e operação da Usina, trabalha no monitoramento e continuidade dos programas ambientais previstos para esta fase operativa e promove ações socioambientais pontuais como o Projeto de Revitalização do Assentamento São Pedro, em Paranaíta e que conta com a parceria do município. Neste projeto, a CHTP aprovou junto ao Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), um crédito de R$ 8 milhões para ações de recuperação de estradas, nascentes, regularização de terras, construção de um centro comunitário, capacitações para melhorar a produtividade local entre outros benefícios. As atividades começaram em maio de 2016 e deve encerrar em meados de 2019.

Também estão previstas pela CHTP, as construções das casas de memória e cultura de Paranaíta e Jacareacanga que foram aprovadas pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional - Iphan, e que deverão abrigar exposições e mostras culturais e arqueológicas além de promover eventos e atividades vinculadas à história, arte e cultura desses municípios.

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte