Jornal MT Norte
Publicidade
         
      
         
Os 20% nas Faculdades de Alta Floresta
A Comunidade Acadêmica das Faculdades de Alta Floresta e eu, através dos 20% estamos trazendo, como há mais de vinte anos sempre fazemos, uma coisa boa, mais um progresso
13:31   28 de Julho, 2017

Professor Dr. José Antonio Tobias

Passaram-se dois meses depois do Movimento dos 20% degenerado em baderna. De propósito, esperei que ele amadurecesse e a gente pudesse ver melhor que espécie de fruto ele é.
Hoje, parte de minha família e alguns amigos meus me aconselham a não publicar mais nada na imprensa a respeito dos 20%, travestido de baderna, que culminou nos dias 29, 30, 31 de maio e de 1° de junho desse ano tentando impedir a implantação dos 20% de ensino a distância nas Faculdades de Alta Floresta.
Na minha vida, de 91 anos e mais de vinte anos de lutas contra comunistas, petistas e membros da Teologia da Libertação na UNESP de Marília assim como nos vinte anos de fundação e construção das Faculdades de Alta Floresta nunca corri o risco de ser assassinado como aconteceu, em frente às Faculdades, nas duas horas, das seis da tarde às oito da noite, do dia 1° de junho de 2017.
Durante e sobretudo logo depois desses acontecimentos, por causa das explosões, dos rojões e das pressões psicológicas e fisiológicas sobre quem queria assistir às aulas, pais de alunos e outras pessoas já impediam filhos, principalmente filhas, de virem às aulas, ou me telefonavam, ou vinham a meu gabinete e perguntavam: “Professor, o que está acontecendo?” “A Faculdade continua?” “O Sr. Está vendendo as Faculdades para a UNIC ou para a CESUMAR?” “Estão falando que a OAB, por ser contra os 20% vai impedir o Sr. de emitir diploma!” E, para completar, pessoas religiosas, preocupadas, estiveram em meu gabinete, para me perguntar: “Professor, estão espalhando que o Sr. é ateu, é verdade?”

São algumas das calúnias que espalharam Nortão afora a respeito das Faculdades de Alta Floresta e de minha humilde pessoa.
Então, alunos e professores, autores do movimento-baderna e convictos de que mandavam nas Faculdades de Alta Floresta, para conseguir seu intento ilegal e destruidor, recorreram à OAB-Ordem dos Advogados do Brasil, de Alta Floresta assim como à Promotoria da Justiça, de Alta Floresta e finalmente, para impedir a rematrícula dos alunos, o ofício a Defensoria Pública, de Alta Floresta. Para quem quiser, temos à disposição do público o ofício e a minha resposta a cada uma dessas três entidades, respeitáveis e veneráveis, com as quais sempre mantivemos e mantemos perfeita harmonia. Aliás, outra não poderia ser a atitude de uma mantenedora que tem uma Faculdade de Direito, ainda mais com o nome e o renome da Faculdade de Direito de Alta Floresta.
Os dirigentes desse movimento, degenerado em baderna, arvoraram-se em salvadores da pátria, isto é, salvadores das Faculdades como se a direção, corpo docente e especialistas em educação a distância estivéssemos, ignorantes e errados, trazendo algo prejudicial e cancerígeno para as Faculdades que fundamos e, sem eles, há mais de vinte anos construímos com aplausos de todo mundo.
Prezada Leitora e prezado Leitor, há mais de 50 anos, seguindo as lições da Bíblia, os ensinamentos da Filosofia Grega e as experiências da vida, repito em minhas aulas, em meus livros e nos discursos de colação de grau:
“Sigam sempre a sua consciência e os Srs. Nunca errarão!”
Nessa altura, estou, por isso, num dilema:
“Sigo o que membros de minha família e amigos insistentemente me aconselham, ou sigo minha consciência?”
Pensei muito, nesses sessenta dias, meditei, pedi a Deus que me ajudasse, como sempre faço, ouvi alguns amigos e concluí o seguinte:
“Em consideração às centenas de pessoas de Alta Floresta, do Nortão e de fora que me respeitam e admiram os trabalhos que tenho feito, sobretudo pela fundação e construção das Faculdades de Alta Floresta que já existem e que – se Deus quiser – ainda vão existir como a de Medicina, vou seguir minha consciência e escrever este artigo, sucinto, para os Srs. Afinal, depois dessa baderna toda, devo-lhes uma explicação. A Comunidade Acadêmica das Faculdades de Alta Floresta e eu, através dos 20% estamos trazendo, como há mais de vinte anos sempre fazemos, uma coisa boa, mais um progresso, ou então, uma coisa suja, um retrocesso, um câncer para as Faculdades de Alta Floresta, como apregoam os violentamente contrários aos 20%?”
Em síntese, os 20% são o seguinte. O Ministério da Educação, em nome do governo federal, usando a Portaria Ministerial n.° 4.059, de 10 de dezembro de 2004 assim como a Portaria Ministerial n.° 1.134, de 10 de outubro de 2016 e o Decreto Ministerial n.° 9.057, de 26 de maio de 2017, aconselha as universidades e faculdades do Brasil todo a colocarem 20% de ensino a distância quando as aulas todas do ano inteiro, como aconteceu até 31 de junho de 2017 nas Faculdades de Alta Floresta, são aulas presenciais, isto é, aulas como geralmente acontece. A implantação dos 20%, em obediência às portarias e ao decreto acima citados, há treze anos vem, pois, acontecendo pacificamente Brasil afora nas universidades e faculdades. Aqui, perto de Alta Floresta, a UNEMAT, em todas as cidades onde tem campus, inclusive portanto, no Campus de Alta Floresta, acaba de implantar os 20%, sem greve em lugar nenhum, sem violência e muito menos sem baderna. Na Faculdade de Guarantã do Norte, continuadora da UNIFLOR, os 20% estão implantados há mais de quatro anos de modo pacífico e natural, como no Brasil todo.
Isso e só isso é o 20%, apresentado como um bicho-papão, um atraso, um câncer pelos manifestantes contrários aos 20%.

 

Aliás, é tão importante o ensino a distância, sobretudo por causa da ênfase atual dada a ele pelo mundo inteiro, principalmente pelo Ministério da Educação como ficou documentado pelo recente Decreto Ministerial n.° 9.057, de 26 de maio de 2017, que nossas Faculdades, há mais de dois anos, estão trabalhando para conseguir para Alta Floresta, além da faculdade presencial, o Credenciamento de uma faculdade 100% Educação a Distância-EAD, colocando, aqui, pela primeira vez em todo o Estado de Mato Grosso, sede e não só polo de ensino a distância. No mês de setembro desse ano, pretendemos protocolar no Ministério da Educação, o pedido de autorização, isto é, de criação da faculdade 100% Educação a Distância, com sede em Alta Floresta e três polos iniciais nas cidades de Paranaíta, Nova Monte Verde e Nova Bandeirantes.

Professor Dr. José Antonio Tobias é diretor da Faculdade de Alta Floresta 
E-mail: reginaldo_faf@hotmail.com.

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte