Jornal MT Norte PSG derrotar o Guingamp fora de casa por 3 a 0, pela segunda rodada do Campeonato Francês. É claro que é cedo para fazer qualquer análise mais profunda, mas dá para afirmar uma coisa: Neymar deu início a uma nova era no clube de Paris. O aporte que ele deu ao time no primeiro jogo ficou evidente e gera enorme expectativa para a temporada. Ele já é a peça-chave da engrenagem.

Imagine a contratação de Neymar da seguinte forma: uma significativa quantia em dinheiro - dentro da realidade do PSG, vale lembrar - que você aplica em um fundo de investimento. Quanto mais alto o valor, mais ele rende em termos de quantidade. E com o camisa 10 o rendimento é altíssimo. Não só dentro de campo, como também fora dele.

Não podemos esquecer que Neymar é uma das principais figuras publicitárias do esporte atualmente, fenômeno de marketing e que instantaneamente se tornou febre na França, capaz até de receber as boas-vindas da Torre Eiffel. Só se fala nele. Todas as câmeras estão apontadas para ele.

Em suas lojas, o PSG também sentiu o gosto do que vem pela frente. No primeiro dia de Neymar, os fãs esgotaram as 10 mil camisas do astro que foram colocadas à venda nas duas tendas oficiais do clube - uma ao lado do estádio Parc des Princes, a outra na famosa Avenida Champs-Élysées. E tudo isso em um curto espaço de apenas seis horas. Novas remessas foram disponibilizadas e continuam sendo sucesso de vendas. Ele está elevando a marca Paris Saint-Germain a outro nível.

A qualidade diferenciada de Neymar ficou clara em seu primeiro toque na bola, quando deu bom lançamento para Di María, que entrou livre na área. Pena que a bola correu um pouco a mais e escapou do argentino. No decorrer da partida, deu belos dribles, deixou a defesa do Guingamp perdida, sofreu faltas e se movimentou muito bem, quase sempre entre o lado esquerdo e o centro do campo. A função tática é um pouco diferente da que ele fazia no Barcelona até a temporada passada, quando quem caía mais pelo meio era Messi.

- Quando comecei os amistosos pelo Barcelona (na pré-temporada nos EUA), já vinha jogando dessa maneira, mais por dentro, caindo pelas pontas. O nosso treinador (Unai Emery) gosta de movimentação, pelo meio, por fora, e me deixa à vontade - explicou o craque da Seleção.

Foram três os momentos de maior destaque de Neymar em campo. Primeiro aos 34 minutos, quando fez cruzamento perfeito para Marquinhos, que cabeceou a bola caprichosamente no travessão. Depois aos 16 do segundo tempo, deixando Cavani na cara do gol com uma assistência excepcional - o uruguaio bateu no canto e balançou a rede. E terceiro no gol da estreia, aos 37. O brasileiro iniciou a jogada e, na base da insistência, recebeu de volta o presente de Cavani para deixar o seu, fechando o placar em 3 a 0.

" />
Publicidade
         
      
         
Investimento começa a dar retorno
Atacante tem ótima atuação e desequilibra o jogo a favor do Paris logo em sua estreia. Investimento recorde do clube francês começa a dar retorno tanto dentro quanto fora de campo
21:16   14 de Agosto, 2017

Por Ivan Raupp, Guingamp, França

O Paris Saint-Germain bombou e inflacionou o mercado de transferências do futebol ao contratar Neymar, que virou de forma disparada o jogador mais caro da história: 222 milhões de euros (o equivalente a R$ 839 milhões, na cotação atual), mais do que o dobro em relação ao até então mais caro, Paul Pogba, que trocou a Juventus pelo Manchester United há um ano por 105 milhões de euros (R$ 396 milhões). Os valores surreais chamaram atenção e levantaram o questionamento: vale pagar toda essa grana em Neymar? Vai além: vale gastar tudo isso em um jogador?

O craque brasileiro deixou seu recado logo na estreia. O gol e a assistência foram os destaques de uma grande atuação, que foi fundamental para o PSG derrotar o Guingamp fora de casa por 3 a 0, pela segunda rodada do Campeonato Francês. É claro que é cedo para fazer qualquer análise mais profunda, mas dá para afirmar uma coisa: Neymar deu início a uma nova era no clube de Paris. O aporte que ele deu ao time no primeiro jogo ficou evidente e gera enorme expectativa para a temporada. Ele já é a peça-chave da engrenagem.

Imagine a contratação de Neymar da seguinte forma: uma significativa quantia em dinheiro - dentro da realidade do PSG, vale lembrar - que você aplica em um fundo de investimento. Quanto mais alto o valor, mais ele rende em termos de quantidade. E com o camisa 10 o rendimento é altíssimo. Não só dentro de campo, como também fora dele.

Não podemos esquecer que Neymar é uma das principais figuras publicitárias do esporte atualmente, fenômeno de marketing e que instantaneamente se tornou febre na França, capaz até de receber as boas-vindas da Torre Eiffel. Só se fala nele. Todas as câmeras estão apontadas para ele.

Em suas lojas, o PSG também sentiu o gosto do que vem pela frente. No primeiro dia de Neymar, os fãs esgotaram as 10 mil camisas do astro que foram colocadas à venda nas duas tendas oficiais do clube - uma ao lado do estádio Parc des Princes, a outra na famosa Avenida Champs-Élysées. E tudo isso em um curto espaço de apenas seis horas. Novas remessas foram disponibilizadas e continuam sendo sucesso de vendas. Ele está elevando a marca Paris Saint-Germain a outro nível.

A qualidade diferenciada de Neymar ficou clara em seu primeiro toque na bola, quando deu bom lançamento para Di María, que entrou livre na área. Pena que a bola correu um pouco a mais e escapou do argentino. No decorrer da partida, deu belos dribles, deixou a defesa do Guingamp perdida, sofreu faltas e se movimentou muito bem, quase sempre entre o lado esquerdo e o centro do campo. A função tática é um pouco diferente da que ele fazia no Barcelona até a temporada passada, quando quem caía mais pelo meio era Messi.

- Quando comecei os amistosos pelo Barcelona (na pré-temporada nos EUA), já vinha jogando dessa maneira, mais por dentro, caindo pelas pontas. O nosso treinador (Unai Emery) gosta de movimentação, pelo meio, por fora, e me deixa à vontade - explicou o craque da Seleção.

Foram três os momentos de maior destaque de Neymar em campo. Primeiro aos 34 minutos, quando fez cruzamento perfeito para Marquinhos, que cabeceou a bola caprichosamente no travessão. Depois aos 16 do segundo tempo, deixando Cavani na cara do gol com uma assistência excepcional - o uruguaio bateu no canto e balançou a rede. E terceiro no gol da estreia, aos 37. O brasileiro iniciou a jogada e, na base da insistência, recebeu de volta o presente de Cavani para deixar o seu, fechando o placar em 3 a 0.

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte