Jornal MT Norte
Publicidade
         
      
         
Simcar: Decreto estende prazo para atualização
Proprietário de imóveis rurais tem mais três meses para fazer a atualização das informações
20:06   04 de Setembro, 2017

Rose Domingues
Sema-MT 

O Governo do Estado publicou o Decreto nº 1.182, de 31 de agosto, estendendo o prazo de atualização dos imóveis rurais que estão na base de dados da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) até 31 de dezembro deste ano. Após esse prazo, a situação do demonstrativo de Cadastro Ambiental Rural (CAR) passará de ‘ativo’ para ‘suspenso.
Além de alterar a data que expirava no dia 02 de setembro, o decreto acrescenta dispositivos ao Decreto 1.031, de dia 02 de junho de 2017. Atualmente, dos 113,5 mil cadastros na base de dados da secretaria, 18 mil já estão em estado de atualização (em andamento) e 7 mil em análise (com o analista).
De acordo com o secretário adjunto de Gestão Ambiental, Alex Sandro Marega, a mudança de sistema tem sido positiva. O Simcar vem superando as expectativas, pois é mais prático, moderno e possui ferramentas que facilitam o cadastro e a análise, a partir de informação seguras, ao contrário do que acontecia com o sistema federal (Sicar)

“A principal vantagem do Simcar é ser próprio, ou seja, quando surgem problemas, dificuldades ou se é necessário acrescentar alguma ferramenta, nós podemos resolver rapidamente pedindo para o setor de tecnologia de informação as mudanças”, explica o gestor.
O Cadastro Ambiental Rural (CAR) é um registro eletrônico obrigatório para todos os imóveis rurais, com a finalidade de integrar as informações ambientais das propriedades e posses rurais do país, compondo base de dados para controle, monitoramento, planejamento ambiental e econômico e combate ao desmatamento. Aquelas propriedades que ainda não estão cadastradas deverão se inscrever, já no novo sistema, até 31 de dezembro deste ano, conforme o novo Código Florestal Brasileiro, (Lei nº 12.651, de 25 de maio de 2012).
O Governo de Mato Grosso precisou retomar a gestão do sistema CAR, que desde 2014 era gerida pelo Serviço Florestal Brasileiro, órgão vinculado ao Ministério do Meio Ambiente. Apesar de ter cadastrado 113,5 mil imóveis em três anos, pouco mais de 2,5 mil foram analisados e menos de 100 aprovados nesse período.
Como era muito simplificado, o cadastro federal gerou inúmeros problemas no estado, entre eles, sobreposições de áreas e informações não confiáveis que inviabilizavam a análise. Já o Simcar tem uma concepção um pouco diferente do sistema nacional por trazer filtros e exigências iniciais, alguns deles automáticos.

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte