Jornal MT Norte
Publicidade
         
      
         
Alta Floresta Nova fronteira agrícola de Mato Grosso
Em um ano a área plantada teve um aumento de quase 85%, saltando de 16 mil hectares na safra 2015/2016 para quase 28 mil hectares na safra seguinte
13:51   09 de Outubro, 2017

Assessoria
Prefeitura de Alta Floresta

Com o objetivo alcançado e muito bem avaliado por todos os participantes, inclusive os palestrantes nacionais, o 1º Encontro sobre a Expansão da Fronteira Agrícola no Extremo Norte Mato-grossense, realizado pela Prefeitura de Alta Floresta nos dias 5 e 6 de outubro, apresentou para o Estado de Mato Grosso e para o Brasil o potencial da nova fronteira agrícola. O novo celeiro do agronegócio está localizado nas regiões Norte e Noroeste de Mato Grosso e abrange 29 municípios.
O evento mostrou para o público e principalmente para os produtores, as autoridades políticas e os empresários do agronegócio, que a nova fronteira agrícola conta com uma área total ocupada por pastagens de mais de 6 milhões e 500 mil hectares, dos quais aproximadamente 2 milhões de hectares foram convertidos em áreas de pastagens cultivadas em Latossolo.
Este avanço resultou, segundo levantamento feito pelo Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (IMEA), numa representatividade de 7% na produção de soja no Estado de Mato Grosso na última safra e numa projeção de crescimento de 12% para a safra 2021/2022, o que representará um incremento de 100% na produção de soja na região Norte e de aproximadamente 55% na produção do grão na região Noroeste.
Somente o município de Alta Floresta, pólo regional, possui uma área de quase 300 mil hectares de agricultura e pastagem e outras duas áreas, que somadas totalizam 172 mil hectares de solo exposto e vegetação degradada, passíveis de preparação para restabelecer a alta capacidade de produtividade. Em um ano a área plantada teve um aumento de quase 85%, saltando de 16 mil hectares na safra 2015/2016 para quase 28 mil hectares na safra seguinte.

O presidente do Sindicato Rural, Valmir Naves Coco,  considerou o evento importante para alavancar o agronegócio na região. “Esse encontro é bem-vindo, quanto mais informação você traz ao produtor e mostrar o potencial da região em nível estadual e nacional é importante porque o nosso potencial é muito grande e nós estamos numa posição geográfica excelente, com clima e solo da melhor qualidade”, frisou ao reivindicar melhorias na logística. “Sem estrada encarece muito a produção pra nós”, reclamou.
O produtor Mário Wolf Filho, proprietário da Fazenda Gamada, localizada no município de Nova Canaã do Norte, foi um dos palestrantes do encontro e falou sobre a experiência da integração lavoura-pecuária. “Esse evento é de fundamental importância para abrir os olhos dos produtores às oportunidades que estão aparecendo principalmente com a melhor logística que estamos tendo, apesar de que tem muito ainda para melhorar”, elogiou.
Quem também destacou o encontro foi o Superintendente da Superintendência de Desenvolvimento do Centro-Oeste (SUDECO), Dr. Antonio Carlos Nantes de Oliveira, que inclusive anunciou que vai trabalhar para viabilizar a pavimentação da MT-419, entre Carlinda e Novo Mundo, para melhorar a logística de transporte. “O evento mostra a importância da região para o desenvolvimento do Mato Grosso e consequentemente do Centro-Oeste e do Brasil, mas o que mais me impressiona é a realização de um evento para buscar aumentar o conhecimento não só dos produtores da região, mas também das autoridades para que todos olhem esta região com outros olhos. Discutir como foi discutido aqui e um gargalho que existe para o incremento do desenvolvimento regional é a pavimentação de uma estrada de 80 quilômetros eu considero um absurdo, o Governo Federal, o Governo Estadual tem dinheiro para isso hoje e nós vamos trabalhar nesse sentido”, afirmou.
William Silva Chianca, Diretor do Departamento de Infraestrutura, Logística e Geoconhecimento para o Setor Agropecuário do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), ficou vislumbrado com o potencial produtivo da região e elogiou a preocupação da administração municipal de Alta Floresta em batalhar pelo desenvolvimento do setor produtivo. “Parabenizar o povo de Alta Floresta e o prefeito Asiel porque realmente é competente tem andado em Brasília, tem feito o dever de casa e dizer que esse tipo de iniciativa é o que nós precisamos para o Brasil. Alta Floresta é realidade, é um pólo próximo aos portos de Miritituba e Santarém (PA), são terras produtivas, gente competente, com a prefeitura envolvida no processo. O que depender do Governo Federal estaremos juntos em todas as áreas”, assegurou.
O prefeito Dr. Asiel Bezerra de Araújo, idealizador do encontro, fez uma avaliação positiva do evento. “O resultado do evento foi excelente, nota 10, com casa lotada, com a participação do setor produtivo, do comércio, indústria, universidades, e vimos que o potencial é muito grande e uma das maiores fronteiras agrícolas que pode se expandir no mundo é a região de Alta Floresta, então, o nosso futuro é muito promissor”, disse.
O gestor também colocou como prioridade a logística de transporte e cobrou o asfaltamento da MT-419, entre Carlinda e Novo Mundo, e a conclusão da pavimentação da BR-163. “Tivemos uma boa notícia, o superintendente da SUDECO disse que vai arrumar o recurso para o governo do estado, em torno de R$ 100 milhões, creio que custará essa obra, para o asfaltamento entre Carlinda e Novo Mundo”, observou.
Aproveitando o momento, anfitrião do evento propôs a segunda edição do estradeiro Alta Floresta (MT) / Santarém (PA). “Todos aceitaram de bom grado para fazermos um relatório e cobramos do presidente Michel Temer o término da pavimentação da BR-163, então, terminando esse asfalto o nosso problema de logística estará solucionado”, frisou Asiel Bezerra.

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte