Jornal MT Norte
Publicidade
         
      
         
Alta Floresta com 65 mil habitantes
Dados estão sendo usados para a revisão do Plano Diretor do Município
11:58   20 de Outubro, 2017

José Vieira do Nascimento
Editor de Mato Grosso do Norte

Alta Floresta está realizando esta semana a revisão do Plano Diretor do Município. Os trabalhos estão sendo realizados através da coordenação de uma empresa de assessoria de Cuiabá, que auxilia a equipe técnica da prefeitura municipal.
Conforme o assessor técnico do gabinete do prefeito, Vanderlei Trujillo, através dos trabalhos para a atualização dos dados do Plano Diretor, foi constatado que, conforme os dados reais obtidos, feitos pelos agentes de Saúde, o município de Alta Floresta tem hoje, somente no perímetro urbano, 57 mil 268 habitantes.
Os números são preliminares porque o levantamento de dados na zona rural do município ainda está sendo elaborado pelos agentes de Saúde. 
No entanto, Vanderlei Trujillo assegura que, mesmo não tendo validade oficial, os dados são reais e correspondem com a realidadedemográfica de Alta Floresta.

“Na verdade estes dados tem um caráter oficial porque são eles que alimentam o banco de dados da secretaria de Saúde do Município, junto ao Ministério da Saúde. Estes dados são informados todos os anos ao Ministério. E são informações feitas com metodologias confiáveis”, afirma.
Na zona rural de Alta Floresta, segundo Vanderlei, o número mínimo de habitantes é de 8 mil moradores. Com isso, somando a população da cidade com a zona rural, o número de habitantes do município é de 65 mil, 15 mil a mais do que é divulgado pelo IBGE.  
Este levantamento populacional, de acordo com ele, serve para a revisão e atualização do Plano Diretor do Município. E, por outro lado, confronta e desqualifica o número de habitantes oficial de Alta Floresta, divulgado pelo IBGE- Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - de 50 mil e 189 habitantes.
“Se fosse divulgado oficialmente o número de habitantes de Alta Floresta, conforme a sua realidade, o município receberia a mais em seus repasses, R$ 300 mil por mês. Isto se tivéssemos, pelo menos 51 mil habitantes oficialmente pelo cálculo do IBGE. A receita da prefeitura seria outra e teríamos como atender de forma mais eficiente as demandas”, avalia Vanderlei.
De acordo com ele, os dados usados para a atualização do Plano Diretor, servem de base para a prefeitura de Alta Floresta, caso queira, entrar com uma ação contra o IBGE para exigir que o instituto faça uma contagem na população, para adequar o número de moradores com a densidade demográfica do município.

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte