Jornal MT Norte
Publicidade
         
      
         
Mudança radical
Henri Castelli exalta sua paixão por tramas de época na pele do mulherengo Teodoro de "Tempo de Amar"
12:17   20 de Outubro, 2017 - Fonte: Carta Z Notícias

Geraldo Bessa TV Press

                Henri Castelli está acostumado ao processo de transição entre um personagem e outro. Mesmo assim, o abismo que separa o indomável motoqueiro Ralf de "Sol Nascente", novela que terminou em março deste ano, e o boêmio Teodoro, da recém-lançada "Tempo de Amar", o surpreendeu. "Sempre mudo a cada novo personagem. A caracterização é peça fundamental para um bom desempenho. Mas o Ralf foi além, mexeu com a minha aparência como nenhum outro. Quando soube que faria época, fiquei desnorteado, sem saber por onde começar a desconstrução", conta, entre risos. Com o período de pré-produção das tramas cada vez mais cedo, Henri utilizou as poucas semanas de férias que conseguiu negociar com a Globo para neutralizar seu estilo. Aos poucos, foi aparando os cabelos e a barba e iniciou uma dieta intensa para perder os oito quilos que teve de engordar para o folhetim praiano. "Já estava viciado em comer pizza à noite. Foi um corte brusco, mas eu precisava estar no meu antigo corpo para viver o Teodoro", entrega.

O ator justifica todo esse empenho a partir de sua paixão por tramas de época. "Queria ter vivido entre os anos 1920 e 1940. Amo a estética e os filmes que retratam esse período", reforça. Mesmo com um currículo extenso dentro da Globo, ele só contabiliza três novelas e uma minissérie de tons históricos. "Eu me coloco à disposição da emissora. Já sinalizei outras vezes minha vontade de fazer trabalhos desse tipo e fiquei muito feliz com o convite do Jayme (Monjardim, diretor)", ressalta o ator, cujo último trabalho no estilo foi o "remake" de "Gabriela", de 2012. Ambientada nos anos 1920, "Tempo de Amar" recoloca Henry em um posto que ele adora: o de antagonista. Inicialmente, os cabelos e olhos claros acabaram direcionando o ator aos papéis de mocinho. Com receio de se repetir e na busca por novas possibilidades, Henry começou a buscar personagens diferentes, mesmo que de menor importância dentro da história. "Acho que até o público estava cansado de me ver como o cara legal. Hoje tenho mais segurança e repertório. Acredito que tudo isso tem haver com meu envelhecimento. As pessoas começaram a me olhar de outra forma", acredita.

Boêmio e mulherengo, Teodoro é um deputado de caráter duvidoso que tem o dom de se encantar por mulheres que não correspondem a ele. "Ele passa a perseguir esses alvos românticos. Ser recusado está fora de cogitação para ele, pois ele se acha o máximo", explica. Entre as investidas do deputado, estão a cantora Celeste, de Marisa Orth, e a protagonista Maria Vitória, da estreante Vitória Estrada. "A fixação dele é tão grande que ele acaba agredindo fisicamente a Maria. É um personagem cheio de contradição, ama as mulheres, mas é capaz de cometer atrocidades", revela. A caracterização e o figurino utilizado por Henri reforçam o ar de superioridade do papel, com direito a cabelo platinado, roupas escuras, muitas joias e uma bengala. "Engraçado que imaginei o Teodoro usando uma bengala assim que li a sinopse da trama. Quando fui fazer o primeiro teste de figurino, a equipe veio com a sugestão de usar uma. Foi uma grande coincidência", lembra.

Natural de São Bernardo do Campo, ABC Paulista, Henri Castelli encontrou seu lugar na tevê depois de se destacar na Escola de Atores Wolf Maya. Aos 20 anos, ele acabou escalado para o elenco de duas produções seguidas dirigidas por Maya, a minissérie "Hilda Furacão" e o "remake" de "Pecado Capital", ambas de 1998. O primeiro protagonista, entretanto, veio quatro anos depois, em uma bem-sucedida temporada de "Malhação", onde fez par com Juliana Silveira. Ao longo dos anos conseguiu passear por outros núcleos dentro da Globo, com personagens de maior destaque em tramas como "Celebridade", "O Astro" e "Flor do Caribe". "Completo 20 anos de Globo no ano que vem. Fui incansável durante todo esse tempo. Aproveitei todas as oportunidades possíveis e tenho muito orgulho dos personagens que tive. Não ligo para férias longas quando tenho em mãos a possibilidade de trabalhar. Meu melhor personagem é sempre o próximo", valoriza.

 

Renovação interna

 

Na Globo há quase duas décadas, Henri Castelli é do tipo que respira televisão. Em sua 17ª novela, ele teve pouco tempo de se dedicar a outros veículos como cinema e teatro. Apesar de sempre buscar novos estímulos, ele jura que não se arrepende de ter investido quase exclusivamente na tevê. "É uma relação muito saudável e recíproca. Não preciso ficar fora do vídeo para me renovar. Me reciclo a cada novo personagem", acredita.

Nas folgas que teve entre uma novela e outra, Henri aproveitou para se envolver com séries. Sem muita ligação com humor, flertou com o gênero em produções como "Casos & Acasos" e "Acampamento de Férias 3". "Adoraria fazer tipos mais cômicos. As pessoas têm uma imagem mais séria de mim por conta dos mocinhos e vilões. Mas vivo fazendo graça de tudo. É um novo caminho a percorrer", avalia.

 

Instantâneas

# Antes de se tornar ator, Henri Castelli trabalhou como garçom e funileiro.

# O horário das seis é um dos mais recorrentes na carreira do ator, com um total de oito novelas.

# O mar é uma das grandes paixões de Henri. Mergulhador experiente, ele viaja o mundo na busca por novas praias e locais de mergulho.

# Henri também tem um lado empreendedor. Ele é um dos sócios do badalado Dezoito Bar & Movement, localizado na Zona Sul de São Paulo.

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte