Jornal MT Norte
Publicidade
         
      
         
Servidores da Saúde cobram salários e ameaçam paralisação
Se pagamento integral não ser feito até no dia 10, servidores irão paralisar atendimentos
11:28   06 de Novembro, 2017

Reportagem
Mato Grosso do Norte

O presidente e o diretor financeiro do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Alta Floresta - Sispumaf - Rogério Francisco e Edimar Silva, respectivamente, afirmaram em entrevista à Mato Grosso do Norte, que os servidores da Saúde Municipal vão reagir com manifestações e paralisação contra o atraso no pagamento dos salários.
Os sindicalistas afirmam que o Sindicato divulgou um comunicado à população, informando o que a categoria irá fazer caso não receba o pagamento na totalidade de todos os servidores até no dia 10 de novembro.
Segundo Rogério, as decisões foram tomadas em Assembleia geral, que contou com a participação de enfermeiros, técnicos em enfermagem, agentes de saúde e psicólogos. 
Segundo Rogério e Edimar, no dia 7, terça-feira, os servidores da Saúde irão fazer uma manifestação em frente à Câmara Municipal, com início às 9hs e duração de 2hs. Os servidores deixarão suas unidades para participar do manifesto.
Se os salários não forem pagos até no dia 10 integralmente, a categoria realizará paralisação geral no dia 14, com duração de um dia. Os sindicalistas observam que por se tratar de atividade considerada essencial, será mantido funcionamento permanente durante a paralisação.
“Nós esperamos contar com o apoio da população em nossas reivindicações pelo recebimento dos salários e continuamos abertos ao diálogo com a prefeitura. Caso não recebamos o salário no dia 10, vamos tomar as próximas decisões em assembleia geral da categoria”, pontuam.

Os sindicalistas enfatizam que o secretário de Saúde, Adonis Pacheco Sampaio, alega que o pagamento está sendo feito de forma escalonada porque a prefeitura está recebendo os repasses do governo, também em escalonamento e não há dinheiro suficiente para pagar os servidores de uma só vez.
Todavia, Rogério e Edimar afirmam que os médicos que estão no bloco da Atenção Básica, são os últimos que recebem. O primeiro bloco recebe no dia 10, o segundo no dia 15 e o terceiro no dia 20.
“Tomamos a decisão de parar pela reincidência nos atrasos que vem acontecendo desde o mês de maio. Eles [prefeito e secretários] haviam nos falados que até no mês de outubro resolveriam a situação da prefeitura e começariam a pagar os salários em dia. No entanto, isto não aconteceu”, dizem.
Conforme Rogério Francisco, o secretário de Saúde, Adonis Pacheco, disse que não há recursos para pagar os salários no dia 10. “O secretário quer que a gente entenda a redução na arrecadação da prefeitura e o atraso nos repasses. Mas ele não informa quais os repasses que estão sendo feitos com atraso”, questiona Rogério.
Já o prefeito Asiel Bezerra, conforme ele, disse que não há o que fazer porque não tem recursos.
O diretor financeiro do Sindicato dos Servidores, Edimar Silva, observa que o atraso no pagamento dos salários causa um grande transtornos para os servidores, principalmente no final de ano.
“Os servidores dependem exclusivamente do salário. Depende do salário para a alimentação, para pagar a conta de energia, de água e seus demais compromissos. Ficar sem receber em dia impacta a vida do servidor”, enfatiza Edimar.

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte