Jornal MT Norte
Publicidade
         
      
         
Em greve há dois meses, serviços no DETRAN estão limitados
Serviços como emissão de carteiras, documentos de veículos novos e transferências não estão sendo feitos
12:13   08 de Novembro, 2017

Reportagem 
Mato Grosso do Norte

Com o objetivo de cobrar reajuste salarial, os servidores públicos do DETRAN-MT estão em greve desde o dia 11 de setembro. Com pouco mais de um mês do início da greve, o órgão voltou a fazer atendimentos parciais como entrega de licenciamentos e habilitações que já estavam prontas. 
A situação vem se agravando já que a Casa Civil emitiu nota informando que, no momento, não seria possível apresentar uma proposta aos servidores, porque o Estado ultrapassou o limite de gastos no segundo quadrimestre deste ano, o que já foi alertado pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE). Sem solução, a categoria continua com a greve que, nesta semana, chega há dois meses.
Diana Sais Machado, diretora da 20ª CIRETRAN (Alta Floresta), ressalta que a população está sendo muito compreensiva com a situação. “Os atendimentos têm sido limitados, pois apenas eu estou atendendo. Infelizmente ainda não tenho acesso a todos os campos do sistema, já que assumi o cargo no período em que a greve já havia iniciado, mas o que é possível fazer, estamos fazendo. As pessoas têm sido muito compreensivas com a situação, todos que chegam aqui, procuramos explicar com clareza a realidade e eles estão compreendendo”, disse.

Atualmente a 20ª CIRETRAN-MT está atendendo ao público às segundas, quartas e sextas-feiras, das 12 às 16 horas, com atendimentos de entrega de licenciamento e habilitações que já estavam prontas. Em média, 80 pessoas estão sendo atendidas por dia. Ás terças e quintas-feiras, o atendimento é exclusivo as auto escolas e despachantes dos municípios de Alta Floresta, Carlinda, Paranaíta, Nova Monte Verde, Nova Bandeirantes e Apiacás.
Marisa Petrucci, da Auto escola e Despachante São Cristóvão, explica que os atendimentos de emissão de licenciamento aos despachantes estão sendo feito pela diretora do CIRETRAN e que os processos novos estão sendo abertos no sistema por eles. Mas que estes processos estão parados, pois não está disponível os serviços de vistoria e nem os processos são concluídos. “Quem precisa transferir o veículo ou fazer o primeiro emplacamento não irá conseguir”, disse.
Em relação as auto escolas, desta vez, as bancas examinadoras continuaram normais. “Os alunos não foram prejudicados neste sentido, mas as carteiras não são emitidas. Com isso, o que acontece é o acúmulo de processos. As pessoas terão que ter paciência quando os serviços voltarem”, explica. 
Quem precisa renovar a carteira de habilitação também está impossibilitado de realizar os serviços.
Outro fato importante a ressaltar são as blitz realizadas no município. Pelo menos em Alta Floresta, o Departamento de Trânsito tem sido compreensivo com a situação e têm aceitado os comprovantes de pagamento das taxas como comprovação de que os veículos estão regulares.

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte