Jornal MT Norte
Publicidade
         
      
         
Produtores do assentamento São Pedro começam a produzir maracujá
Sete famílias do assentamento vão fazer a primeira colheita em dezembro
14:17   13 de Novembro, 2017

Reportagem
Mato Grosso do Norte

Foi realizado na quinta-feira, 9, um Dia de Campo do Maracujá no Assentamento São Pedro. O evento foi coordenador pela Cooperativa Mista de Pequenos Agricultores do setor Caná em Carlinda- Compasc. 
O presidente da Compasc, Francisco Severino Oliveira, o Chiquinho, disse que a cooperativa fomentou no Assentamento, 8 projetos de plantio de Maracujá. Como um produtor desistiu, restaram 7 famílias que trabalho com a lavoura.
Os trabalhos foram iniciados no final de 2016, com a Compasc financiando a implantação do projeto, que é o fornecimento de adubo, arame, as mudas e alguns defensivos. E posteriormente, financiou também a irrigação no período de estiagem.
“Nosso investimento foi em torno de R$ 23 mil. Alguns produtores já começaram a produzir ainda em pequena quantidade. A expectativa é que agora, a partir de dezembro, já começamos colher maracujá no assentamento São Pedro e comece a trazer para a sede da cooperativa”, disse 

O presidente da Compasc disse que participou do Dia de Campo e viu que os produtores estão animados querendo ampliar a área de produção e outros produtores querendo iniciar o plantio. 

“Primeiro vamos dar um suporte para esses 7 produtores que já vão começar a produzir. Depois vamos ver como vamos como podemos fazer para ajudar os que querem aderir ao projeto. Mas existe um projeto da secretaria de Agricultura de Paranaíta, que pretende fomentar os produtores do assentamento no cultivo de Maracujá”, disse.
Com relação a área do assentamento, Chiquinho acentua que a qualidade do solo  e suas características são excepcionais e propicias  para o cultivo do maracujá. “Todas as lavouras lá estão muito bonitas, prometendo uma safra muito boa agora em dezembro”, observa.
Para o presidente da Câmara de Paranaíta, vereador Manoel de Moura, o Netinho, que participou do Dia de Campo, o cultivo de Maracujá é uma importante alternativa de renda para os agricultores da Agricultura Familiar.
“É uma ação importante que tem o apoio da Câmara Municipal porque é um projeto viável, que agrega valores à propriedade e ajuda o homem do campo a permanecer na zona rural. Eu fiquei muito feliz em ver os agricultores animados, querendo ampliar a área plantada. E devemos observar que o projeto tem a garantia de compra das cooperativas Compasc e da Coopernova”, disse. 
O vereador enfatiza que  tanto o maracujá como outras atividades da agricultura familiar como o cultivo de verduras e frutas como o abacaxi, são importantes alternativas para fomentar a agricultura familiar em Paranaíta.
Ele disse que Paranaíta tem 10 produtores de pipino e também tem agricultores começando a produzir abacaxi. “A Câmara está incentivando estas ações e a secretaria de Agricultura também devem incentivar, porque são ações importantes, que vão ajudar a melhorar a qualidade de vida dos pequenos agricultores”, observa o vereador.

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte