Jornal MT Norte
Publicidade
         
      
         
No centro da ação
Em “Apocalipse”, Juliana Knust comemora 20 anos de carreira com sua primeira protagonista na tevê
12:11   24 de Novembro, 2017

Caroline Borges

TV Press

 

     A cautela é a principal aliada de Juliana Knust durante os próximos meses de trabalho. Com 20 anos de carreira e pela primeira vez ocupando o posto de protagonista, a intérprete da corajosa Zoe, de “Apocalipse”, da Record, confessa que a nova posição é, em um primeiro momento, bastante assustadora. Apesar da longa jornada na tevê, ela admite que a imprevisibilidade do sucesso de um novo trabalho gera uma insegurança. “É uma responsabilidade muito grande. Dou o meu melhor e sou totalmente comprometida com meu trabalho. Mas a gente fica insegura com a resposta do público, se as pessoas vão gostar ou não. Não tenho certeza de que tudo vai ser ótimo e que vão me amar no vídeo”, explica.

    “Apocalipse” marca o segundo trabalho de Juliana na Record após uma breve participação em “Belaventura”. Depois de uma série de personagens de destaque na Globo, a atriz finalmente ganhou a oportunidade de viver um papel central em um folhetim. Aos 36 anos, ela garante que soube esperar sem grandes ansiedades pelo momento de protagonizar uma trama. “Tudo tem seu momento e tive personagens maravilhosos na minha trajetória. Talvez, se tivesse sido mais cedo, eu não estaria preparada. Essa protagonista vai ser mais uma personagem incrível da minha carreira”, torce Juliana, que agora encara um volume muito maior de cenas para gravar. “Tenho me dedicado ao máximo para que esse trabalho saia da melhor forma possível. A única diferença da protagonista para os demais é a quantidade de cenas porque ela circula muito mais. Mas há outros papéis incríveis e feitos por pessoas talentosíssimas”, completa.

     Na história de Vívian de Oliveira, Zoe é uma jornalista com a carreira em ascensão. Casada com Benjamin, papel de Igor Rickli, a personagem tem suas crenças religiosas. Porém, não frequenta mais a igreja. Quando sua família for arrebatada, ela entrará em crise. Ao lado de Benjamin, irá liderar os Santos da Resistência, que lutarão contra o Anticristo, de Sérgio Marone. “Zoe foi criada na igreja e em uma família religiosa, mas não é tão fervorosa. Isso será um conflito abordado durante a trama. A personagem é muito batalhadora e destemida. É muito bom fazer parte de um projeto tão audacioso e com uma produção tão impecável”, valoriza.

     Para viver Zoe, Juliana se aproximou do universo do jornalismo. Habituada a estampar capas de revistas e participar de matérias, a atriz se surpreendeu ao conhecer a profissão mais a fundo. Antes do início das gravações, ela esteve na redação dos telejornais da Record no Rio de Janeiro. Ao lado de parte do elenco, participou de reuniões de pauta e observou a rotina dos repórteres. “A gente quer passar a maior veracidade possível. Fiquei impressionada como é uma loucura uma redação, a quantidade de informação que circula e como as pessoas não batem cabeça com isso. É muita coisa acontecendo ao mesmo tempo. Jamais daria conta de um negócio desses (risos)”, afirma.

 

 

 

Caminho das pedras

Os primeiros passos de Juliana Knust na carreira artística foram aos 12 anos, quando começou a estudar Teatro. Com o objetivo de se especializar cada vez mais, ela se inscreveu em uma escola profissionalizante de Artes Cênicas, fez cursos de vídeo, palco e, depois, participou da Oficina de Atores da Rede Globo. “Precisei amadurecer muito cedo. Saí de casa muito nova para morar sozinha e trabalhar. Fui atrás de uma independência e batalhar pelas minhas coisas muito jovem”, lembra.

    A estreia na dramaturgia aconteceu em “Malhação”, durante a temporada de 1997. Depois disso, fez participações em “Bambuluá” e “Sandy & Junior”. Já o “début” nos folhetins foi em “Celebridade”, de 2003. Durante os 18 anos em que esteve na Globo, a atriz integrou o elenco de produções como “América”, “Duas Caras” e “Finas Estampa”. Agora, completando duas décadas de carreira, Juliana reavalia sua trajetória na tevê. “Me sinto mais madura, mas sei que, na essência, sigo a mesma. Esse tempo todo de profissão foi muito rico. Conheci muita gente, amadureci, cresci e troquei informações. Tenho consciência de que não sou mais aquela menininha de 20 anos”, explica.

 

Instantâneas

# Juliana Knust se tornou mais conhecida pelo grande público depois de atuar em “Celebridade”, de 2003.

# Em 2014, a atriz participou da “websérie” “Viral”, do grupo de humor para internet Porta dos Fundos.

# Seu último trabalho na Globo foi na temporada 2015 de “Malhação”.

# Mesmo com as gravações já iniciadas, Juliana Knust ainda faz visitas às redações dos jornais da Record. “De vez em quando, dou minhas passadas por lá para ver como está tudo”, afirma. 

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte